domingo, 9 de novembro de 2008

| da série: o mundo é um sex-shop |

É que acredito que na vida tudo passa pelo impulso que te move.

A noção sexual está em todo o nosso redor: somos seres sensuais sempre.

E é a sensualidade de cada coisa, de cada ato, de cada sentir que agarra o nosso próximo minuto.

Quando engatinhamos, é a sensualidade do ficar de pé que nos faz levantar.

Quando nos cortamos, é a sensualidade de ver a pele restaurada que nos faz rogar pela cura.

Quando temos fome, é a sensualidade da satisfação do comer que nos faz nos alimentar.

Quando escutamos música, todos os nossos sentidos se aguçam, num ato sexual completo entre corpo e som: muito mais está sendo dito do que o que a letra da canção abarca.

Por essa mesma razão, existem vários tipos de orgasmos.

Todos eles são importantes e coroam a completude de um momento.
São um êxtase. E, por isso, vão-virando-som, vão-virando-som, vão-virando-som, vão-virando-som, vão-virando-som.. até que viram silêncio.

E é no silêncio-pós-orgasmo que o corpo sorri na plenitude do entendimento.
Chegou-se lá.

~~~~

Alguns orgasmos meus:

TEXTOS:

A vida mal e mal me escapa embora me venha a certeza de que a vida é outra e tem um estilo oculto.
Este texto que te dou não é para ser visto de perto. Ganha sua secreta redondez antes invisível quando é visto de um avião em alto vôo. Então adivinha-se o jogo das ilhas e vêem-se canais e mares. Entende-me: escrevo-te uma onomatopéia, convulsão da linguagem. Transmito-te não uma história mas apenas palavras que vivem do som. Digo-te assim:
“Tronco luxurioso”.
E banho-me nele. Ele está ligado à raiz que penetra em nós na terra. Tudo o que te escrevo é tenso. Uso palavras soltas que são em si mesmas um dardo livre: “selvagens, bárbaros, nobres decadentes e marginais”. Isto te diz alguma coisa? A mim fala.
Mas a mais importante palavra da língua tem uma única letra: é. É.

CLARICE LISPECTOR, ÁGUA VIVA, P. 3
0.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

MOYERS: Considerando o que você conhece dos seres humanos, existiria um nível de sabedoria, para além dos conflitos entre verdade e ilusão, a partir do qual nossas vidas voltariam a atingir a plenitude? Seremos capazes de desenvolver novos modelos?


CAMPBELL: Eles já estão aí, nas religiões. Todas as religiões foram verdadeiras, para o seu tempo. Quem for capaz de reconhecer o aspecto não perecível da sua verdade e separálo do que é circunstancial, terá apreendido isso.


Falamos disso aqui mesmo: o sacrifício dos medos e desejos físicos àquilo que espiritualmente ampara o corpo; estará o corpo aprendendo a conhecer e a expressar sua vida profunda, na esfera temporal? De um modo ou de outro, todos temos de encontrar o que melhor favoreça o florescimento da nossa humanidade, nesta vida, e dedicar nos a isso.


MOYERS: Não a primeira causa, mas uma causa mais alta?


CAMPBELL: Eu diria uma causa mais interior. “Mais alta” é apenas lá em cima e não existe nenhum “lá em cima”. Sabemos disso. Aquele velho lá em cima foi mandado embora. Você precisa encontrar a Força dentro de você mesmo. É por isso que os gurus orientais são tão convincentes para os jovens, hoje em dia. Eles dizem: “Está dentro de você. Vá e encontre o”.


JOSEPH CAMPBELL, O PODER DO MITO, P. 157.


IMAGENS










campanha em prol da leitura



















pintura de FridaKhalo[metáforas são a perfeição, não?]

o interesse econôm
ico da guerra do oriente médio em um quadrinho





hipocrisia retratada na tirinha dos malvados






criA-tividade é tudo!





MÚSICA

elis regina: canção do sal


maria bethânia: oração ao tempo


FILMES

cantando na chuva (singin' in the rain)


a noviça rebelde (the sound of music)


...além dos sorrisos dos amigos, ver seus familiares bem, lápis de cor, papel em branco, um-chá- quentinho-com-um-livro-debaixo-de-um-cobertor, olhar o seu cachorrinho fazer marmota, apresentar bem aquele trabalho, levantar bons argumentos em uma reunião, achar a poesia que escreveu e nem lembrava, ligar o rádio e estar tocando uma música que adora... e, claro, o orgasmo que pele-com-pele cria.

~~ bom... é orgasmo que não acaba mais... porque o mundo, ah, o mundo é um sex-shop! :]

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
:::: ah, vamos ter um orgasmo em conjunto, vamos? :]
o cd da Esperanza, para quem quiser viajar na delícia que é ela.



clique aqui.


6 comentários:

Sdref disse...

Well... I have to say... A frase da semana, pra mim, com certeza é:

"Quando escutamos música, todos os nossos sentidos se aguçam, num ato sexual completo entre corpo e som: muito mais está sendo dito do que o que a letra da canção abarca."

Música está em tudo (sim, um lugar comum) e, mais que isso, tudo na natureza se comunica conosco e com o resto através de música. Música, pra mim, é o meio de comunicação que Deus deu ao mundo para essa pudesse ser universal. Através da música tudo se entende. (sim, sou viciada em música)

Também tenho de dizer que concordo com vários dos seus orgasmos: a noviça rebelde, criatividade dos ovos, o quadrinho do bush, a imagem do livro abraçando a mulher e a frida khalo são os melhores... Assumo que sempre quis ler Clarice, mas por algum motivo sempre me caem outras coisas nas mãos e ela continua esperando.

No mais, eu apenas - como se a palavra apenas não soasse completamente discrepante ao lado do meu quase infinito rol de orgarmos - acrescentaria Amelie Poulain, Mary Poppins, Cecília Meireles, Florbela Espanca, Romero Brito, tela, pincéis, Frank Sinatra, Chico Buarque, lírios sobre a mesa.

Sorry... Comentário enorme... I always talk to much...

Marcia Paula disse...

Digamos que tive um multiorgasmo,obrigada;)

Boudeccá disse...

Nós somos amor e música mais do que carne e ossos. A pessoa certa reconhecerá em nós o som que escuta em seu coração, e ficará ao nosso lado pela eternidade de nossa melodia.
Você pode estar na trilha sonora de muitas vidas, mas sua uma você vai mudar para sempre.

:S!(g²): disse...

=]
bom saber que alguém mais sente 'orgasmos' lendo campbell.
orgasmos mitológicos.
hahahaha
lindo blog!

Flôr de Azeviche disse...

Adorei o post.
Sobre os textos, gosto muito de Clarice Lispector.
Adoooooooro a imagem do livro a abraçando a moça, os ovinhos, essa é nova pra mim, não conhecia, adorei rsrs. Criatividade é tudo mesmo.

Beijos.
Linkei você!

Flôr de Azeviche disse...

hahaha, obrigada.
Pena que o semestre já está acabando rs, mas teram outras matérias para eu 'brisar'.
Beijooos