quarta-feira, 12 de novembro de 2008

| Mama África, Obama e A Luta Continua |

Morreu na madrugada dessa segunda-feira passada (dia 10) uma mulher que foi a voz de muitos. Miriam Makeba. Foi ela quem, em meio a continentes de segregação racial e política, se tornou a Mama África – apelido bem mais que justo para uma pessoa que tentou sempre a conciliação entre povos, por meio da música e de atos políticos.

A questão é que, cada um de nós, toca algumas pessoas ao longo de nossas vidas. Sempre haverá alguém que nos será grato porque dissemos/fizemos a coisa certa na hora certa e que isso afetou e redirecionou o destino dessa pessoa. Assim como também é verdade que outras terão esse papel na nossa vida. Tocamos vidas: esse é um de nossos poderes.

No entanto algumas pessoas, seja lá por qual razão, têm como agir mais diretamente sobre o destino de muitos. Têm como intervir em caminhos e liberdades. Têm como sair das ‘algumas dezenas’ do resto de nós e realmente fazer com que centenas, milhares de pessoas tenham suas vidas modificadas.

Mama África foi uma dessas pessoas. E ela morreu em tempo de ainda testemunhar uma alegria: vendo um homem negro subir à presidência dos Estados Unidos.

E embora às vezes eu me preocupe com o tanto de expectativas que estão sendo geradas em cima do Obama, não há como negar a importância desse momento histórico: algo mudou: algo grande e simbólico aconteceu.







































No dia seguinte à eleição do Obama, uma amiga minha me mandou a seguinte mensagem:

Os EUA acabaram de eleger um homem negro para seu Presidente. Isso é sinal de bons presságios.

E eu concordo com ela. No mínimo, faz as pessoas conversarem. No mínimo, gera polêmica. No mínimo, faz com que as pessoas reavaliem o que é ‘normal’ ou não. No mínimo, traz a esperança de mudanças.

Quando ele se elegeu eu lembrei da Mama África. E lembrei do Rev. Martin Luther King Jr. E lembrei de Gandhi. E lembrei de Nelson Mandela. E lembrei da perfeita Maya Angelou* que escreveu tão bem sobre a segregação que sofreu ( e isso não faz nem 100 anos, gente!).

Eu sei que já vivemos tempos muito piores. Já vivemos tempos em que os negros não eram considerados sequer humanos. Já vivemos tempos em que as mulheres eram uma simples posse, um objeto para mando e desmando de seus pais, maridos, irmãos. Já vivemos tempos em que pessoas iam parar em fogueiras e forcas por serem diferentes.

Acho que o mundo continua a girar e, em uma dessas voltas que ele dará, a gente ganha também a batalha como a que o Obama ganhou. Viraremos também símbolos do que um dia não era sequer imaginável – e que, em um dado momento, tudo converge para que vire normalidade.

E já é tempo que o normal tenha qualquer cara, ah, já é mesmo.

Enquanto esse dia não chega, estou com a Madonna:

"Se pudemos votar num afro-americano como presidente, podemos apoiar o casamento gay"


E com a Mamma África cantando “A Luta Continua”.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
diálogo registrado por Freud:

Enquanto encontrava-me no aposento ao lado, ouvi uma criança, com medo do escuro, dizer em voz alta: 'Mas fala comigo, titia. Estou com medo!'. E ela: 'Por quê? De que adianta isso? Tu nem estás me vendo.' A isto a criança respondeu: 'Se alguém fala, fica mais claro.' (Freud, 1917/ 1996)

||| Bora sempre falar, né gente?
Que o mundo está sempre em precisão de claridade!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


>> Em tempo: notícia de hoje: Estado americado de Connecticut legaliza casamento entre homosexuais. Olhaí o mundo girando! :]

|| Mama África cantando Pata Pata:


| cartum |
minha vontade frustrada de jornalista: o dia em que os jornais enxergassem e divulgassem sensibilidade ao mundo (cartum do argentino Liniers)




e do também argentino e-meu-amor quino: miguelito mostrando que quem faz nosso caminho somos nós mesmos.




~~~ um dos cds mais perfeitos da Bebel. Bom demais para enfeitar o background daqueles momentos gostosos! :]




Clique aqui.





~~~~ Para quem sabe inglês, vale ler essa carta do perfeito cartunista Daryl Cagle.


* Recomendo demais o livro dela "Eu sei por que o pássaro canta na gaiola" (I know why caged birds sing) - mas é um soco no estômago, hein!

PERFEITO comentário deixado sobre Mama África pelo usuário "iwapelebrown" no YouTube:

"We will miss you Ms. Miriam and all that you stood for. You didn't just become a star for Africa and Africans around the world but you became our voice, our struggle, our passion, our dreams, our hopes and our drive to better our reality. You remained true to your people and now your people MUST remain true to you in memory. Let your name be called million times with love, honor and respect! MamaArfika, MamaAfrika, MamaAfrika! It's time for your children to take your place. Ase."


7 comentários:

de mulher pra mulher disse...

eu adoro suas postagens!!
sempre aprendo com elas
suave seja sempre!!
bjos em seu coração
.
.
Sandrinha

Sdref disse...

POR PARTES: 1 - AMEI o cartoon do miguelito. perfeito!
2 - Vou me mudar pra connecticut e viver em casas de madeira com lareira. rs!
3 - Lindo o diálogo do freud...
4 - Há algumas semanas li uma reportagem no site da cnn, na verdade uma entrevista, com uma senhora negra americana que dizia que por anos ela não se inscrevia mais para votar, mas que, dessa vez, ela faria um negro presidente. Pois bem, pela primeira vez eu gostaria de ser uma eleitora americana...
5 - Por último, Madonna é sempre Madonna!
Bjsss e, por favor, continue a falar demais. rs!

Flôr de Azeviche disse...

Como diz Sandrinha, sempre aprendo um pouco mais com as suas postagens.
O clipe da Miriam Makeba, eu não conhecia, via os pedacinhos nos jornais. Legal!
Beijoos

Helena disse...

::: sandrinha:

menina, e eu contigo?
e ainda é o melhor tipo de aprendizagem:
no escurinho e 'de mulher para mulher' Oo

uia! rs.
bjo grande!


:::ferds:
posso ir contigo pra conneticut? oO
[veja como a anonimato deixa as pessoas encheridas: acho que acabei de propor casamento para uma estranha-querida-que-tem-os-mesmos-gostos-que-eu! :P]
bjo!! e continuemos a falar demais as duas, plis! ;]


:::querida flôr:
você só traz coisas lindas quando vem aqui.
deve ser a intensidade do azeviche, ou a poeta que você é, ou o fato de que você tem clarice lispector no seu perfil, ou...
só sei que é delícia demais ver seus comentários na caixinha do Sapatilhando!
um bjooo!

Sdref disse...

Helena, eu adoro o anonimato! ele nos proporciona uma liberdade maior. Ou isso ou aprender a ser como os loucos, não pensar no que pensam os outros.. rs!

Aproveitando, eu aceito a idéia, vamos juntas pra connecticut!. rs!

bjsssss continuando a falar demais.

Flôr de Azeviche disse...

Helena, vim aqui para falar do seu comentário no meu blog, mas li o que você escreveu, fiquei, hum vamos dizer, meio aérea agora com o que você disse rs. Fique sabendo que eu adoooooro as suas visitas no meu blog =).

Falando o Línox, também acho que ele canta lindamente.

Beijoos =D

Bruna B. disse...

Concordo (:
Analisando tudo que a sociedade já passou e superou, podemos sim dizer que o mundo está girando e, aos poucos, se abrindo para novas perspectivas. Claro que ainda temos uma grande caminha pela frente, 'A Luta Continua'! Mas acho que é com essas diferenças e conquistas que aprendemos, JUNTOS!