quarta-feira, 19 de novembro de 2008

| uma helena (quase) livre e outras coisas polêmicas |


QUASE-LIVRE E COISA POLÊMICA # 1


É que estou quase terminando o meu mestrado, sabe? O quase nem era mais quase, de tão pertinho que estava: mas, ontem, a bomba: só me livrarei dele em janeiro. Mas deixa, que eu sou metida a poliana mesmo e acredito que a gente tem ser Zeca Pagodinho nesta vida: “Deixa a vida me levar, vida leva eu...”. Rs.

O fato é que tenho vivido como uma louca nos últimos dois meses – principalmente – por conta desse acontecimento que seria consumado agora. E, como as loucuras de la vida têm que escapar por algum canto, semana passada este ser que vos fala estava com os seus 1.73 de altura absolutamente imprestáveis: sem voz, sem calor, sem bom humor, sem nada. E o detalhe mais fatídico era: era co-responsável por um congresso de 150 participantes e ainda era uma das palestrantes do tal encontro. E tudo isso aconteceria no dia seguinte ao tal dia da imprestabilidade. Aí, esse é um daqueles momentos em que um sábio e absolutamente-(in)útil pensamento lhe vem à cabeça: se eu fosse uma super-heroína, como a She-ra ou a Mulher-Maravilha, o que eu faria? Oo

Bom, nem eu tinha espada de prata para levantar e gritar com minha voz inexistente “Pela honra de GraySkull” – aliás eu sempre achei que a Adora/She-ra bem que poderia gritar uma coisa mais interessante, poisé. Nem eu tenho a cara de pau da Mulher-Maravilha de sair por aí vestida 24hrs com uma roupa “pode vir quente que eu estou fervendo” oO. E muito menos sou uma super-heroína, ora bolas, então me taquei mesmo foi para o hospital para usar a tal da urgência que o plano de saúde me arranca do banco todo mês.

Chegando lá, claro, fila de espera. Que urgência já deixou de ter peso de urgência faz tempo nessa Era onde tudo-é-para-ontem.

Além disso, um ar-condicionado que deixaria qualquer Pólo Norte parecendo uma praia de Maui. E a pessoa aqui ardendo de febre e já achando os básicos 35 graus do Nordeste uma frieza só, imaginem!

Daí, claro, encolhidinha na cadeira o mais longe possível do ar-condicionado e da televisão (odeio TV!!! – e mais que isso, odeio mesmo é o fato desse ser ter se multiplicado e infectado todo e qualquer ambiente humano!! Como pode?? Deve ser um plano alienígena bem sucedido! Só pode!!), lá estava eu, um abuso só de pessoa, esperando a minha vez de usar a dramaticidade da minha urgência.

Foi quando uma garotinha de três anos me chamou atenção. Criança tem o dom de fazer o tempo parar, não é? Fiquei prestando atenção nela. Estava só ela e a avó – que era um daqueles seres que me fazer querer sacudi-los e dizer um ensurdecedor “ACORDA-AMOR!”, de tão “urgh!” que era a tal da avó.

Eis o diálogo que se passou entre as duas:

A Alice (esse era o nome da garotinha) chega perto da sua avó e diz:
Bobó, tadê aquela mininha que tava atchi?
A avó da Alice fez que nem escutou. Ainda bem que criança sabe fazer as coisas e continuou repetindo:
Bobóóó, tadê aquela mininha que tava atchi?
Nada ainda. Eu já estava em tempo de dizer “Minha senhora, sua netinha está falando com você!”. Mas a Alice era superior a tudo, a mim, à avó dela, ao tempo, a tudo. E repetiu de novo a tal frase.
A avó, fazendo cara de abuso, e depois um cínico sorriso à mulher que estava na sua frente, respondeu:
Ela foi embora chorando e triste.

Alice de repente ficou muito preocupada com o destino da menininha. E disse, encolhendo a testinha de três anos:
Pôtê, bobó, pôtê ela foi embola tiste?
A avó, em um gozo no mínimo doentio disse sorrindo de canto de boca – ainda olhando para a mulher na sua frente:
Porque você estava se danando muito! Aí ela foi embora chorando.

Eu, puta com o diálogo, balançava a cabeça negativamente pensando “Meu Deus, começam é cedo a colocar culpa nas crianças!”. Doida para interferir, fui chamada para ir assinar a folhinha do plano de saúde. Quando voltei, Alice estava no chão da sala de espera, tentando calçar seus sapatinhos – ela estava descalça. Sendo que tentava teimosamente colocar o sapato direito no pé esquerdo. A avó, claro, sentada na cadeira como quem senta em um trono, nem se mexia. Nem sequer olhava para as tentativas de Alice. Quando eu já ia me levantar, a senhora que estava na frente delas – que também fazia caras e bocas sem acreditar que existisse um ser como a avó da Alice, se adiantou e disse com doçura:

Você está colocando do lado errado, Alice! É no outro pé! Deixa eu colocar para você!

Ao que a perfeita Alice respondeu em alto e bom tom:

Não! Pode detá ti eu toloco sozinha! Eu quelo tolocá sozinha!

E eu, rindo, pensei: É, Alice, acho que não preciso me preocupar com você não. Rs. Você já aprendeu que tem mesmo que se virar.

E eu, bom, consegui o que queria: depois do médico dizer sobre a minha garganta “está inflamado e não é pouco!”, foi injeção no traseiro de muá e depois de capotar na minha cama por quatro horas seguidas, acordei uma nova mulher. Quase uma She-Ra ou uma Mulher-Maravilha, de tão disposta que estava!

Aí eu digo duas coisas:

1.
Viva as drogas-de-poder-de-cura!! oO
e
2. Olhe que, com a companhia certa, eu até teria vestido a tal roupa da Mulher-Maravilha naquela hora! :P

____________________
~ E só pra fechar mesmo - que foi essa na realidade a razão de eu ter vindo aqui contar a história da Alice e a reflexão que ela me gerou - eu me pergunto quantas de nós se toca que às vezes a gente tem que fazer que nem a Alice: dizer com toda a segurança que ‘pode deixar’ que enfrenta sozinha.

O caminho não é (nem é para ser, acho) fácil: mas é andando nele que a gente acha nossos sorrisos e lágrimas. É só assim que funciona. Às vezes acho mesmo, como a Alice, que ao invés de esperar que o mundo nos supra ou nos entenda, a gente tem mesmo é que gritar e mostrar a si mesma que dá conta. Porque a gente dá sim. É só uma questão de preparo, de costume. E aí vale dizer a perfeita frase de Grace Hopper:
“O navio é seguro quando está no porto. Mas não é para isso que se fazem navios”.


- GENTE, A ‘COISA POLÊMICA # 2’ EU POSTO AMANHÃ E A 'COISA POLÊMICA # 3' EU POSTO DEPOIS DE AMANHÃ, VIU? QUE FICOU GRAAANDE DEMAIS MEUS DEUS, E EU TENHO MEDO DE CANSAR A BELEZA DE VOCÊS. (QUERO ISSO NÃO!!) RS.


|| ainda aproveitando o gancho da Simone e da Zélia: meu pai, tem coisa mais linda que duas mulheres bonitas dando um abraço??? respondo por todas nós logo: tem não, ó!!! ô, Simone, eu não acharia ruim ser a Zélia por váááarios motivos, rs, mas esse seu abraço com certeza entrou na lista das minhas razões !! :P

















| cartum|
Zelé Lelé, do nosso querido Maurício de Souza, mostrando que a gente só lida bem com aquilo para o qual estamos preparados mesmo. (clique na imagem para ampliar)

















|| acompanho esse homem já há algum tempo. amo! sua irreverência, seu auto-amor, sua capacidade de se renovar e se respeitar.. tudo! e tudo nele é bom, mas com esse show ele conseguiu realmente se superar!! Ney, em Inclassificáveis. -- E realmente o são.




clique aqui.

8 comentários:

morgana disse...

* aaaah, eu jurando que daria pra ir assistir sua defesa. Shit! :(
* E você, trate de ficar boa. [mais oO] Rsrs Cuide-se ;)
* Nada melhor do que criaaanças... ^^
A pequena Alice já vem ligando o botão do 'pode deixar' é cedo. Eu aprendia liga-lo tem uns 3 anos. :P
Sem comentários pra essa 'avó' dela. --'

Beijos e beijos senhorita.
Apareça, que saudade também faz mal a saúde. :P

Melhoooras*

Kika_L disse...

Oi obrigada por linkar e pela visita.
Cara se fosse só a avó da alice que fosse assim mais tem um bucado de gente que pensa que criança não e gente e não merece respeito.
O bom é que a galerinha tá aprendendo a se defender desde cedo.

Melhoras ae!

Sdref disse...

Oi oi oi querida!

Por partes, mais uma vez? (acho que tenho síndrome de jack estripador...)

1 - 1,73??? Me assustei com sua altura... é engraçado pq eu leio suas idéias e como nunca te vi, apenas te imagino, você contar coisas de você me surpreende. rsss!

2 - Você sabe o que é Poliana!! Ganhou mil pontos... Eu odeio quem não sabe o que é isso... Nem precisa ter lido os livros, basta ter visto os filmes e saber o que é o jogo do contente, rs!

3 - Mestrado: mas que m****, hein? Eu me irrito com coisas que se adiam...

4 - Já está curada?

5 - Alice, me encantei com Alice.... A avó merecia uma 'sova', como diria a minha avó, mas Alice é um encanto. Eu adoro ver como as crianças, inocentemente, sabem viver a vida melhor que a gente...

6 - Adorei o cartoon, mas eu abusava do gênio nos 2 primeiros pedidos e depois pedia pra ele sumir. rs!

7 - Essa foto da Zélia com a Simone é mesmo lindíssima! Adoro as duas... Simone foi minha primeira inspiração adolescente, a que herdei dos meus pais... E Zélia, como coloquei em um álbum do Orkut, é minha paixão mais antiga e mais eterna. rs! E nem vou começar a falar dela que não paro mais...

8 - "Olhe que, com a companhia certa, eu até teria vestido a tal roupa da Mulher-Maravilha naquela hora! :P" - Você anda inspirada nas coisas do coração, hein?

9 - Amei, again, o comentário no meu blog novo e o link, vou responder e linkar tb!

Bjsssss

menina. disse...

Helena :)

precisei passar para deixar um beijo.

Flôr de Azeviche disse...

Olá Helena, tudo bem? Então, eu sumi um pouco, aconteceram coisas chatas e eu me distanciei do mundo da internet, mas voltei com um post que explica tudo, ou quase tudo. Veja depois se lhe interessar.
Beijos.
=)

Helena disse...

:::morgana:

ô, Mô, nem me diga! :/
antes de ontem me chateei taaaanto com essa história!
foi um balde de água fria! mas, como bem disse seu amigo: "ai, ai. ui, ui. passou!" rs. (adorei essa frase!!) rs.
agora já estou vendo é o taaanto de coisas que boas que eu vou tirar disso e que a minha 'bichinha' vai ficar é mais linda, né? ;]

~ foi mal.. a correria de sempre... :/
mas já já melhora, viu?

um beijo do nosso tamanho! :*


::: kika:

ih, Kika! é mesmo!
se esse povo percebesse o tanto que se aprendente com esses pequeninos! o mundo com certeza seria um lugar bem melhor e mais justo!

e a galerinha tá dando de chinelo mesmo!
a Alice ganha de mim e é por milhas e milhas!! rs.

bjão!

:::ferds:

AMO que você tenha a síndrome do jack estripador!! KKKK!
Assim ganho mais de você e ainda é de pouquinho em pouquinho: que adoro coisas que cabem dentro do tempo! :]

valha. Oo
é sim: 1.73 :P
culpa minha não: mamãe e papai que fizeram!! kkk!

ah! sou POLIANA assumida!
Aliás, meus amigos inúúúmeras vezes me chamam assim quando eu venho 'com o lado bom das coisas' -- o que, concordo, às vezes é uma chatice só!! kkk! maaas... como se diz no inglês: it's a dirty job, but somebody has to do it! :P

~~ tb ABUSARIA do gênio! ô! e como!
tem pelo menos 5 problemas na minha vida que seriam resolvidos com mais din din! :P

Bjão, Ferds!!
Vou já lá no seu cantinho de novo!


:::menina:

que bom lhe ver por aqui, Menina!
e de casinha também!
Oba! vou já lá!

bjão!

:::flôrzíssima:

ai. fiquei preocupada.
claro que vou lá agora mesmo!
de qualquer forma já estou feliz por você estar de volta!

beijos e beijos!

Sdref disse...

Só pra ser mais de pouquinho em pouquinho: vamos por partes, rsss!

Eu tb costumo ser muito poliana e não só em relação às coisas, mas às pessoas também... nessa segunda situação as coisas se complicam um pouco mais porque essas, mesmo que não esperemos sempre o melhor delas já nos decepcionam, imagina quando esperamos? mas não me incomodo. melhor achar que todas são sempre o melhor que podem ser do que viver desconfiando de todos...

quanto ao gênio... Bom, eu abusaria em relação a $$$$ e coração... pq o resto tá muito bem. rss!

bjssssss

Bruna B. disse...

só pra dizer, de novo, que seus textos são tuuudo! é tão legal a maneira como você ver as coisas e tira o melhor delas :)
sucesso! ;*