terça-feira, 23 de dezembro de 2008

| sobre Deus, seus filhos, finais e começos |

ou BOAS FESTAS PARA VOCÊ!! :]


::: OUTRO POST COMPRIIIIIDO... SORRY::: :/

MAS ACHO QUE SERVE DE CONSOLO QUE EU AGORA SÓ LHES APERREAREI NO PRÓXIMO ANO!! :P


Não era a minha intenção vir deixar desejos de Boas Festas aqui em tons de polêmicas. Juro que não era! Meu signo pode até entrar em meu favor aqui: como uma canceriana com ascendente em libra, veja só, conflito é uma coisa que tento evitar sempre! Oo

Mas, claro, como não se vive sem conflitos (porque são eles que nos fazem refletir e crescer), estou mesmo sempre à volta de coisitas polêmicas e de teorias sobre a vida.

Bom... Então... nos comentários do Post abaixo uma pessoa trouxe à tona o bendito (em tom irônico, por favor) e nada-santo-padre Papa não-Bento XVI. Oo

Calma, calma... Também sou católica. Ou pelo menos tive formação católica.
Acredito (demais) em Deus, gosto de conversar com a entidade feminina que é Maria, confio piamente no poder da e acho mesmo que, através dela, é que somos verdadeiramente humanos e meio de milagres.

Tenho discussões horrendas com quem quer que abra a boca para dizer que é ateu: por um motivo muito simples: uma vida sem Deus é infinitamente mais pobre. Como assim achar que nós, pequeniníssimos humanos, somos os maiores seres que existem?

Não. Há que ter algo mais. Algo muito maior. Um Ser dono de uma benevolência inimaginável. Dono de uma compressão e amor que jamais poderíamos sequer supor.

Lembro-me de uma historinha do Maurício de Souza em que seu personagem pré-histórico, o Piteco, é confundido com o Filho de Deus. Ele cai em uma caverna e todos pensam que ele caiu do céu como resposta às suas orações. Logo lhe tratam como um rei! Dão-lhe as melhores comidas e agrados. Piteco, então pensando que achou a sorte grande, recebe tudo com grande felicidade! Mas, alguns minutos depois, começam a lhe chegar pessoas pedindo cura para crianças, para velhinhos, para doentes que estão sofrendo, para pessoas que estão chorando... Desesperado e impotente, Piteco pede desculpas ao chefe da tribo, que entende e o ajuda a fugir. Pouco tempo depois, com Piteco já longe, as pessoas gritam: Foi só chegar perto do Filho de Deus que estou curado!! O chefe da tribo corre de volta à caverna e, encucado, diz para si mesmo: Por que o Filho de Deus mentiu, por quê? Nessa hora o quadrinho vai para as nuvens e o Anjo Gabriel pergunta a Deus: Mas, senhor, seu Filho ainda não demorará alguns milhares de anos para chegar à Terra? Ao que Deus responde: Gabriel, estás esquecido de uma coisa importante: TODOS SÃO MEUS FIHOS!

Ah, como eu queria que todos entendessem isso!
Como eu queria, em especial, que os líderes religiosos parassem de dar títulos e explicações humanas a Algo que é tão maior que o nosso limitado entendimento!

No início deste ano um colega meu de infância cometeu suicídio.
Foi algo que abalou muito a nós todos que havíamos estudado juntos durante tantos anos: passado da infância para a adolescência juntos. Vivendo os mesmo conflitos e sorrindo os mesmos sorrisos. Toda a nossa turma se reuniu em seu enterro e missa de sétimo dia. Estávamos todos lá: mais do que nunca, adultos. Conscientes da nossa perda. Conscientes do nosso choro.

Ao longo da missa, o ridículo padre falava do pecado que era tirar a própria vida. Falava de um Deus que abominava tal coisa, falava de um Carrasco que castigaria, a quem quer que faça isso, com uma eternidade de chamas e sofrimento.

Olha, meninas, eu sou a primeira a defender a vida. Sou a primeira a ser contra qualquer tipo de ação que cesse uma existência, seja a sua própria ou a de outro ser (humano ou animal).

Mas não me venham com um soberbo ar de superioridade porque mesmo estando distante desse meu amigo, EU SEI da dor em que ele deveria estar para achar que não havia outra saída senão aquela. Eu, ridícula e pequena, sei disso. Que dirá Deus!

Então não deu outra, fervendo de raiva com o tal padre, morrendo por dentro pela pobre mãe escutando tudo aquilo, na hora das homenagens corri para o microfone e disse, chorando e, literalmente, tremendo: olhando com amor para a mãe e olhando com raiva para o padre:

Eu às vezes acho que Deus deve sentir tristeza: porque somos seus filhos e não O conhecemos. Ah, se nós, humanos, mesmo em meio a uma dor extrema como essa, podemos achar em nossos corações a benevolência de querer acima de tudo que o B. esteja bem, o que se pode imaginar de Deus? Não, Deus não é castigo. Não é o tirano implacável que às vezes O fazemos. Eu vejo uma mãe linda chorando aqui na minha frente. O bebê dela se foi e realmente não há dor maior que essa. Mas, querida mãe, eu olho para cima e vejo um Pai recebendo um bebê que também é Dele. Acalentando esse filho que estava em meio à dor. Por favor, não pense em palavras que julgam, pense no imenso amor que a senhora tem pelo seu filho e tenha a certeza que esse amor gigante é ainda absolutamente maior da parte de Deus. E o B. está em meio ao calor sim: mas um calor de abraço: um calor que ama com um entendimento maior do que qualquer um de nós pode imaginar. Não duvide disso um minuto sequer, por favor!

Ao fim da missa, um dos irmãos dele veio para perto de mim e me deu um abraço. Um longo e mudo abraço que disse tudo o que precisava ser dito. Que falou mais do que qualquer palavra poderia falar. Quando o abraço terminou, olhamos um para o outro ainda mudos: porque sabíamos. E era isso o que importava.

E é o entendimento desse abraço que eu desejo para qualquer um que fale de Deus. Se amanhã, ao virar do dia 25, festejamos o nascimento de um Homem que se fez Deus, é porque precisávamos que Deus fosse um pouquinho humano também. Precisávamos que Deus soubesse (vivesse na pele) o que é o sorriso e o que é a lágrima, o que é a dor física, o que é a dor de uma traição, o que é a felicidade imensurável de alguém que fala em sua defesa na hora da precisão. Jesus é isso: é Deus tentando nos entender melhor.

Ou você acha que é fácil para um Ser sem limites saber sobre seres que são definidos por suas limitações? Não, na minha opinião, Deus vive através de nós. Somos nós quem humanizamos Deus. E desculpe se isso chocar alguém: mas acho mesmo que Ele aprende conosco.

Porque se somos capazes de coisas terríveis, somos também capazes da maior e da mais extrema bondade e abnegação. Somos donos de uma entrega real e sofrida. De uma entrega, muitas vezes, diária. Criador e criatura se completam: é como um autor que escreve um livro: sim, foi ele quem escreveu aquele livro: foi criação, invenção dele: mas não me venha dizer que ele mesmo não se surpreendeu por vezes com o que havia escrito: não me venha dizer que não aprendeu com o livro que ele próprio escreveu.

Lembro-me da reportagem que vi de um homem que tinha pulado na correnteza para salvar um cachorro. Os bombeiros chegaram quando o homem já vinha com o cachorro nas mãos: o dois, homem e cachorro, meio mortos/meio vivos. Um dos bombeiros gritou em desespero: Por que você fez isso? É um milagre que você tenha saído com vida pela força com que essas águas estão! Ao que o homem respondeu: Porque esse é o meu cachorro: e eu sei as alegrias que ele já me deu.

Ah, chamem-me de ideológica, mas somos sim seres lindos!
Amo, amo estar viva e poder presenciar tantas belezas (mesmo quando em meio à dor). Amo o fato da vida poder despertar em nós o nosso melhor.

E agora eu pergunto: se o dono do cachorrinho sabia da alegria que o cachorrinho já lhe dera, qual a noção que você faz de Deus?
Não, querida, Ele não lhe joga os rótulos que a humanidade lhe joga: Ele não sai dizendo: Feia: Pobre: Homossexual: Pecadora: Promíscua: Lésbica: Burra: Ignorante: Bonita: Inteligente: Santa... Não... Isso são coisas dos homens. Aliás, NOMES são coisas dos homens: e como tudo o que vem do homem: servem para o bem e para o mal.

Deus, não: Deus é a condensação da bondade: é a compreensão e o amor reunidos em um ser de tamanho imensurável. E sério mesmo: a única hora em que acho que a ‘ira de Deus’ entra em cena, é na hora de defender algum de nós que esteja em precisão. O resto, Ele sabe que a vida insistentemente nos tentará ensinar, insistentemente tentará nos fazer ver. Uns de nós aprendem, outros não.

No outro dia, minha professora veio me dizer que há mais de cinqüenta (eu sei que o trema caiu :/, mas é que gosto mesmo dele e sou do grupo de resistência em relação ao seu uso!!) anos não nasce um bebê com síndrome de down na França. E eu toda feliz, achando que tinham achado alguma cura da qual eu ainda não sabia, perguntei como podia isso e ela, com tristeza, me disse: toda gravidez que apresenta um bebê assim é cessada. Na mesma hora Hittler me veio à cabeça: a raça ariana perfeita.

E eu me pergunto o que achamos que é realmente essa experiência aqui na Terra. Um filho com necessidades especiais é sim um sofrimento muitas vezes, mas é também uma humanização constante: uma perda de pré-conceitos, um constante lidar com o que é verdadeiramente humano, com o que é realmente relativo à vida, à matéria da alma. E me dá tristeza saber que há alguns de nós “limpando” o que acham de “impuro” aqui na Terra: porque o que é “impuro” muda a cada novo endereço. E nós, mulheres que gostam de mulheres, homens que gostam de homens, estamos nesse mesmo pacote.

Não é nos comparando a falhas genéticas, mas é sim apontando que, no fim, somos todos iguais: seres que nasceram assim. E ponto. E são nossas características que nos fazem: eu, não-Helena, gosto de mulher e não tenho escolha sobre isso. Eu, não-Helena, sou quase fatalmente alérgica a pimenta e não há nada que eu possa fazer. Eu tenho a altura que tenho e sobre isso não foi me dado escolha. Tenho o rosto que tenho e o cérebro que tenho. Me peça para escrever mil páginas e ler mil livros que faço isso com um sorriso no rosto: mas não me peça para fazer uma continha de matemática porque você verá uma pessoa suando frio e em sérios apuros. :P

Somos o que somos porque somos todos diferentes.
É daí que vem a riqueza de nossa passagem aqui na Terra: é daí que vem a razão desta vida de começo e fim.

Honestamente: acho mesmo que é AQUI que gozamos, que choramos, que sorrimos, que comemos, que amamos, que nos revoltamos, que temos esperança, que sentimos dor, que nos curamos, que recomeçamos, que sentimos cheiros, que sentimos toques, que aprendemos, que... tanto, meu Deus, TANTO!

Quer melhorar sua alma?
Dê sempre uma olhada no Blog do jornalista Jairo Marques: o Assim como você.
O que tem de especial nesse cara? Bem, ele foi vítima de Pólio quando era pequeno e desde então é cadeirante. O Blog trata belamente de pessoas que, na expressão usada por ele, estão na Matrix - ou seja, que têm algum tipo de deficiência. E lá, graças graças, ele contempla todo mundo: pessoas paraplégicas, pessoas tetraplégicas, pessoas com paralisia cerebral, com falta de visão ou audição, com deficiências de crescimento... enfim, o pessoal especialíssimo cuja missão na Terra é driblar os limites do corpo e fazer um caminho bem bonito por aqui.

Lá existem histórias incríveis como a da impressionante médica Natália, de apenas 23 anos:
http://assimcomovoce.folha.blog.uol.com.br/arch2008-06-01_2008-06-07.html#2008_06-06_09_13_50-129797961-0

Ou ainda, por exemplo, ele fala de maneira muito bem humorada sobre a auto estima (segundo post da página: “Hoje é dia de "Fototerapia"”) e sobre sexualidade (mais para o final da página: “Um motel pra chamar de meu”) sob a ótica de um cadeirante:
http://assimcomovoce.folha.blog.uol.com.br/arch2008-09-07_2008-09-13.html#2008_09-12_01_17_39-129797961-0


E depois não venha me dizer que os filhos de Deus não são especialíssimos apesar de alguns de seus irmãos levantarem a cabeça, esses sim cegos e autistas, a dizer que nada disso é “normal”.

Queridas, o problema é de quem não vê!
Sério mesmo, são essas pessoas que não conseguem enxergar além que necessitam de nossa compaixão, não o contrário!! Nós não somos as vítimas, meu Deus, são eles!! São eles que permanecem assustados e encolhidos, presos nesse mundinho que acham que é tão perfeito e fácil de entender. É o cérebro deles que é limitado. É o corpo deles que é limitado. É o sentir deles que é limitado. Claro, é uma pena sim. Mas acho que o tempo está aí: para ajudar a nós todos a melhorarmos.

Eu, francamente, tenho orgulho de estar do lado de cá! ;]
Porque sei que mil barreiras já caíram em mim só por conta disso!

E finais são importante por isso: anunciam um novo começo.

E todo fim de ano representa isso: uma etapa que termina para que outra se inicie.

Acho o máximo o tempo nos dar esse presente anual: a chance de recomeçar. De trilhar um novo ano: de fazer novas escolhas: de mudar o que necessita ser mudado: de manter o que é bom que seja mantido.

E eu AMO o Natal. Amo o sentimento que essa época faz nascer em todos nós ao REDOR DO MUNDO!! Pensa nisso: o mundo quase todo está comemorando algo junto! É uma época de muita energia sim!

E nessa noite eu sempre rezo para aqueles que estão sozinhos. Ninguém deveria estar sozinho na noite de Natal. Deveria ser proibido. Deveria ter uma campanha internacional para que se acolhesse em cada família alguém que estivesse sozinho.

O fato é que a vida está aí, para que acreditemos na sua enorme capacidade de fazer o próximo minuto melhor do que o minuto passado.

E, quer saber, têm finais que te chegam sem que você escolha, têm finais que são necessários que você escolha, têm finais que acontecem perto de você: mas o começo, bem, o começo está sim sempre nas suas mãos.

E esse começo que agora chamamos de 2009?

O que VOCÊ vai fazer com ele?


Posso dar uma dica?

Sorria muito, menina! Sorria muito!

Se você estiver sorrindo, é porque o cam
inho está sim correto!!

Obrigada por vocês terem enfeitado o meu 2008! Por terem me feito tanta companhia!
Espero que possamos conversar muito ainda em 2009! :]

BOAS FESTAS!!
MUITOS SORRISOS E PAZ PARA VOCÊS, QUERIDAS COMPANHEIRAS SAPATILHANTES! ;]

__________________
(credo. hoje eu bati recorde em verborragia! :P foi maus!! perdoem-me e voltem, viu?) Oo


|| quem puder, e ainda não conhecer a história do fantástico Nick, assista esse vídeo, viu? basta assistir uma vez: o exemplo desse cara morará para sempre dentro de você. porque a vida deve ser vivida assim: com um sorriso: apesar de.

ah, e só para esclarecer: Nick não nasceu em meio ao dinheiro não: mas hoje ganha bem dando palestras ao redor do mundo: inspirando outras pessoas a superar os problemas que a vida lhes apresenta! ;]


| cartum |
Mafaldinha dizendo para o Ano Novo o que nós também queremos dizer! :P








|| meninas, estou baixando esses cds juntos com vocês! ainda não escutei, mas li coisas maravilhoras sobre eles! (têm nomes deliciosos como Ângela Maria, Elizeth Cardoso, Dick Farney etc)

E acho que vale para entrar no clima, né? ;]


Natal no Brasil - Volume 1




clique aqui.





Natal no Brasil - Volume 2




clique aqui.

17 comentários:

DiOliver disse...

Olá Helena, estou aqui novamente.
Dessa vez não posso dizer que concordo com tudo o que disse, aliás, acho que concordo com poucas das suas palavras hoje, o que não significa que não seja um bom texto, ao contrário, como sempre bem escrito, claro, sincero, sentimental...

Pra início de conversa, gostaria de lhe dizer que atualmente eu não tenho religião, por dois motivos óbvios: primeiro, todas as religiões, e eu digo TODAS, se dizem dona da verdade; segundo, todas, eu digo TODAS, são intolerantes. E no momento não sei te dizer se acredito em Deus, mas, nem por isso eu tenho a arrogância de achar que eu, ou que nós seres humanos, somos os maiores seres que habitam esse planeta. Talvez, assim como as outras pessoas que nos atacam, por sermos homossexuais, você também pode está cometendo um erro de análise, ao achar que todo ateu se acha o ser superior do universo. Não é verdade. Vou te dar apenas um exemplo.

Com toda certeza você já ouviu ou leu um livro de José Saramago (que inclusive foi prêmio nobel de literatura, não me lembro o ano), pois é, Saramago é ateu confesso. Mas, eu jamais conheci uma entidade tão espiritualizada quanto ele. Ele é ateu! E daí? Pode ter certeza que ele não se acha superior a ninguém ou a nada. Inclusive se você ainda não leu, deveria ler "O Evangelho segundo Jesus Cristo", um dos melhores livros dele. Pra mim, ele conseguiu o que todas as religiões cristãs tentam e não consegue fazer. Tornar divino o que é humano (falando é claro de Jesus). E isso ele fez com uma beleza que só ele. Detalhe, ele é ateu.

Em relação a Bento XVI, o que vem de vossa santidade, não me assusta, basta lembrarmos que ele já bebeu nas águas da Opus Dei, ou seja, era fiel seguidor das idéias conservadoras de tal organizacão (pra não usar outra expressão).

Helena, não queria polemizar, mas, apenas esclarecer um ponto de vista. Espero que entenda, discordar faz parte. Como diria Voltaire: "Posso não concorda com nenhuma das palavras que disser, mas defendei até a morte o direito de você dizê-las".

Querida,
boas festas e um super 2009.
Beijos...
Di...

Helena disse...

Di, rs, aproveitando que acabei de ver seu comentário... eu sabia que estava aqui levantando coisas polêmicas: e discutir é sempre saudável. Ouvir outras opiniões: melhor ainda.

Não foi minha intenção colocar pessoas que se denominam ateus em um mesmo pacote não!! Me desculpe se soou assim. Foi mera falta de espaço mesmo (e por não ser o foco do que quis levantar no texto). Até porque, acho que acreditar em algo é o suficiente. Não precisa ter o nome de 'Deus'.

Saramago é meu rei! Era uma antes de ler o 'Ensaio sobre a cegueira' e sou outra depois! (livro que eu elegi como o melhor dele...) Mas eu precisaria de muuuitas linhas para dizer minha opinião sobre o que EU acho da afirmação dele (que já conhecia sim!).

De qualquer forma, Di, nem se preocupe!! Acho que discordar faz parte sim e é bom que faça: é daí justamente que nascem as diferenças que DEVEM ser respeitadas (assunto principal que quis passar no post). ;]

Um bjão!!
Feliz Natal e um 2009 super bacana! ;]

As Beliscas disse...

mas o post foi grande mesmo! rs

Como todo assunto polêmico merece seus pitacos, aí vai o meu...

Quem sou eu para dizer o que as pessoas devem fazer, mas percebi muito cedo que ir a igreja e viver esse conflito, ouvir pessoas falando que tudo que eu sou é errado não me fazia bem, pulei fora.

Acho sim que podemos tentar mudar, fazer com que o mundo seja menos preconceituoso, mas não podemos tentar colocar sapatos em caixas de fósforo.

beijinhos e feliz natal!
Cames

Helena disse...

::: Cames:

Vou nem mentir que estou adorando essa polêmica!! kkkk!! Movimentou as coisas por aqui!! :P

Acabei de escrever um email para a Di explicando melhor o que eu quis dizer... confesso que ao reler o post eu também achei que poderia ter dito as coisas de uma forma um pouco melhor e mais clara! :P

Vou culpar a gripe terrível com a qual estou no momento, viu? rs

Concordo plenamente com você: não podemos tentar colocar sapatos em caixas de fósforo.

achei jóia essa frase! :P

e, como eu já disse por aqui antes: "O deus que você adora
é o deus que você merece"
(do campbell, para variar).

acho que cabe a cada um saber pesar as coisas mesmo!

equilíbrio é uma ótima receita!!

no mais: pular fora do que faz mal é UMA SÁBIA decisão!! ;]

bjos!!
Feliz natal!

Luisa disse...

É bom polemizar, rs.. :-)
Eu li de manhã o teu post mas só estou comentando agora (17h15min).
Ao citar o site 'assim como você', eu lembrei do livro de Cristovão Tezza (O filho eterno), que fala sobre a experiência de se conviver com um filho portador da Síndrome de Down. Minha mãe ganhou esse livro, parece ser interessante.
Além disso, estava ouvindo a rádio eldorado pela manhã e escutei os comentários da socióloga Graziela Gilioli sobre o livro que lançou em 2007: O pequeno médico. Relata sobre a perda do filho de 12 anos, que morreu de câncer. A entrevista foi ótima; ela é muito inteligente. Não sei se o livro é bom mas me lembrei. Ela comenta sobre o processo de criação e sobre como a escrita nos ajuda a reorganizar as coisas, a clarear a mente, a criar sentidos novos e a transformar o que nos perturba em algo prazeroso.
------
Não vou falar sobre Deus aqui. Basta você saber que acredito sim em uma energia maior que tudo e todos e muito poderosa e transformadora.
----
Adorei (mais uma vez) o cartum da Mafalda. :-) Nunca fui ligada em tirinhas, mas estou mudando aos poucos. rs..
----
Um beijo grande.
Um natal inesquecível.

Isa disse...

Pessoas que dependem de religião pra acreditar na existência de Deus, vão passar a vida toda sem religião e sem acreditar em Deus.

Pra acreditar em Deus basta somente ter fé.

"A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem".
Tá na bíblia (só não sei onde, estou com preguiça de procurar!)

Eu ia falar da repulsa que sinto pela eugenia, mas é melhor não, o comentário vai virar um texto!

Mudando totalmente de assunto...
Você falou aquilo tudo na missa mesmo?!? Sou sua fã. lol

Feliz natal pra vc!
Bj.

Anônimo disse...

Completando meu recado anterior: Sera' que este SR PAPA, nao ver que esta incentivando a HOMOFOBIA, e incentivando a violencia contra pessoas do bem, me pergunto...
Como este Sr que se diz o representante de uma instituiçao religiosa tao grande, pode declarar uma mensagem tao preconceituosa e tao perigosa, indo contra a mensagem tao simples e clara de seu mentor maior: Jesus.
Que e' a mensagem : Amai uns aos outros como a ti mesmo! com suas iqualdades e diferenças, completando.
Bem , acho que agora me expressei melhor, o recado anterior ficou um pouco confuso, pq estava muito indignada ao ouvir esta declaraçao tao absurda, em rede nacional.
Espero que este SR PAPA, se retrate...
Desejo um Feliz Natal e um Ano de 2009 com mais amor e menos pre-conceitos nas diversas sociedades.
neusa , a atrapalhada...rs
e Helena vc disse tudo muito bem, como sempre,lhe admiro.

Lorena disse...

Eh, até que enfim pude vir e comentar seu texto lindo, lindo. Gosto de textos verdadeiros, Helena, e adoro saber que sempre vou encontrá-los aqui, eu sei que sempre. Gosto de conhecer uma pessoa por completo, não o físico, isso não me importa muito, mas o de dentro sempre me interessa e por isso gosto muito de blogs verdadeiros como o seu.
Agora, falando do assunto de hoje, eu sou crente. Não no sentido perjorativo e nem no sentido "protestante", não. Cresci católica por opção própria, escolhi o caminho que ia seguir ainda criança e sem grandes imposições, cultivei minha fé aos poucos e ainda hoje estou em processo de conversão, de mudança, dia a dia. Porque não acredito que seja coisa estática, é contínua. E uma coisa que aprendi nessa minha conversão diária é que a fé forte é a fé analisada, pensada, digerida, "filosofada"... Quanto mais paramos para pensar, discutir, desfazer e refazer conceitos, mas cresce a fé. Muita gente acha que não; acha que se parar para analisar o que algum líder religioso diz, se duvidar do pastor/padre, se pensar diferente do Papa, vai estar pecando na fé. Mas não, não vai, porque Jesus Cristo (para aqueles que Nele crêem, lógico) foi um homem de mudanças e atitudes. Ele analisava o que os doutores Lhe diziam, não ficava calado nas discussões, com medo de expôr sua opinião, nem tinha medo de mudar a verdade estabelecida. E o seu Evangelho, sua Boa Nova, era de AMOR, acima de tudo, acima de qualquer outro mandamento, amar. E amar, pura e simplesmente, não é fácil, não é humano simplesmente, ninguém consegue amar plenamente como nos manda Jesus, porque ninguém é perfeito.

Você disse muito bem, somos nós, seres humanos, que damos nomes "aos bois", como se diz na minha família. Nós rotulamos tudo, tudinho. Rotulamos pessoas, características físicas, relacionamentos, sentimentos, expressões... Aí, pegamos um rótulo e tentamos encaixar os outros nele, um grande arquivo cheios de gavetas:
- Negros/Brancos
- Pobres/Ricos
- Gays/Hetero
- Crente/Ateu
- Divino/Profano

Olha como isso é simplista... E o ser humano é tudo, menos simples. Biologicamente falando, mesmo, mas não vou entrar no mérito, já estou me estendendo demais.... Só queria dizer mais uma coisa em relação a isso. Os homens são complexos, Deus é que é muito simples. Ele é Pai e nós somos filhos. Ele nos pediu, por intermédio de um Homem, apenas uma coisa e só poderemos cumprir seu desejo se deixarmos de complicar a vida, e fazermos como Ele: eu te amo porque você é meu irmão. Ponto final. Você tem defeitos? eu também tenho. Eu discordo de você em alguns pontos? Sim, porque somos diferentes. Somos diferentes, apenas isso. Você não precisa ser igual a mim, nem eu a você... Assim seria, se deixássemos a simplicidade tomar conta da nossa vida... Ah, lembrei de S. Francisco, o servo mais simples... mas não vou me estender tb. Deixa, que já está muito grande meu comentário. =)

Só queria falar uma coisa em especial pra você, Helena: você é linda. Nem conheço sua face, nunca te vi (só seu pescoço ali na foto =P), mas posso dizer com segurança que você é linda. Porque tem sentimentos lindos. Sua atitude no velório do seu colega foi muito corajosa e tocante, muito. Fiquei emocionada e feliz por você estar lá e ter acalentado a família. Parabéns pela pessoa lidna que você é. =)

Bom, chega, já falei demais, demais. Feliz Natal, querida. Que Deus te abençoe sempre, sempre.

beijos!

Lorena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcia Paula disse...

Confesso Helena,não li tudo,mas duas coisas:libra,seu ascendente não adora o equilíbrio,mas adora desequilibrar para consertar as coisas.Quanto aos outros aspectos,bom Jesus não é Deus ,nunca foi,pelo menos ninguém vai me convencer disso.Não acredito na biblía e tenho desprezo pelo catolicismo,mas acredito que Jesus é um iniciado,um mestre ascencionado.Beijos.

Helena disse...

:::Luisa:

Lu! :]

Poisé.. rs. De vez em quando é bom uma polemicazinha para movimentar as coisas...
adorei saber que você está se ligando em titinhas! rs. É bom demais, ó!

um beijo enorme! :*

:::Isa:

ISA VOCÊ DISSE TUDO!! ;]
É exatamente essa a minha opinião sobre o tal assunto.. rs

Em relação à missa... eu disse sim tudo aquilo... estava sentada ouvindo tudo aquilo sem me aguentar já... daí virei para a amiga do lado e disse: não dá. tenho que escrever alguma coisa para essa mãe! daí me levantei, fui para o fundo da igreja, escrevi exatamente o que coloquei aqui, e disse lá na frente... foi barra... a voz quase não saía pq eu estava com medo de como iam reagir. mas eu sabia que não iria me perdoar se ficasse calada...

um bjão, viu?
adoro seus comentários por aqui! ;]

:::neusa:

você andou movimentando as coisas, hein, menina!! kkkkk!! ri demais da 'trapalhada'! e ainda bem que no fim foi isso!! kkkkkk!

ridículo sim o comportamento desse homem. é tanta intolerância, preconceito, ignorância e pobreza de espírito juntas que nem sei...

um bjão, viu?


:::Lorena:

Menina-amélie, adoro suas reflexôes!!
Para mim, você disse tudo: a fé forte é a fé analisada, pensada, digerida, "filosofada". Acho precisamente isso. Para mim, fé é mais do que fechar os olhos e mergulhar: é fechar os olhos, mergulhar e refletir sobre o mergulho.

Serei eu cada vez mais se pensar sempre sobre quem eu sou.

E se não é para esse tipo de transformação que estamos aqui, eu não sei bem para que estamos então.

Acho que temos que viver de forma que sejamos o MAIS NÓS MESMAS que pudermos ser.

E que coisa linda que você me escreveu... fale sempre muito, muito, muito!! que já lhe disse que adoro, viu?

um beijo gigante, menina-amélie!! :*


:::Marcia Paula:

mas ora veja: quer dizer que meu ascendente me faz uma dessas pessoas que arrumam as coisas desarrumando, é??? olhaí... isso explica uma ruma de coisas!! :P rs.

sobre jesus, deus, e cia., escritora, acho que nem é importante definir o que é o que... gosto da frase de uma tia minha: eu só sei que estão aqui passados 2008 anos do nascimento desse cara e ainda a gente ainda comemora o nascimento dele: para mim isso já é prova suficiente de que ele foi um cara especial.

e em um mundo tão carente de líderes, e aonde bons exemplos são tão difíceis de serem divulgados, é bom saber que há um exemplo constante aí. se fazem bom uso desse exemplo... bom... aí é que são elas, né, escritora... é barra sim. concordo com você que é complicado! :/

bjãooo!!

mara* disse...

Foi um prazer compartilhar 2008 com você. Que o seu 2009 seja glorioso e cheinho de estrelas e realizações.

Um abraço carinhoso querida Helena

A lés de Mim disse...

A história é muito bonita e o post tambem é muito comprido... bom natal (atrasado) para ti :D e boas entrada no novo ano

bjk

***

Kika_L disse...

Oi Helena Feliz Ano Novo muitas felicidades,paz,saude, amor e sorte.

Abraços que seu ano seja otimo!

Maraysa Carvalho disse...

Aqui os comentários batem recorde de tamanho! =)
Bom, n vou me estender muito, mas basicamente quero te elogiar por sua atitude durante a missa, vc disse exatamente o q o padre deveria ter dito na sua missão como líder cristão, mas nem vou comentar a opinião da Igreja sobre o suicídio pq sinceramente é lamentável... E o pior é q n para (me controlando para n colocar o acento do verbo! >.<) por aí, como se já n fosse muito, né? É intolerância ao homossexualismo, à camisinha e um incentivo absurdo ao aumento de soropositivos no mundo! Parece até piada (e eu seria mais feliz se realmente isso n fosse real).
Sou espírita, n sei se vc é, mas sinto q sua espiritualidade é bem latente. =)

Eu chorei lendo seu post, sabe? Ele me tocou de uma maneira e tem passagens tão incríveis q vou imprimir e pedir para minha mami ler, talvez com suas palavras ela se sinta de algum modo tocada e aceite (ou pelo menos n julgue mal) o homossexualismo da minha irmã. Vc n imagina o quanto é ruim a situação entre as duas... :T
Eu já n sei o q faço para tentar mudar isso, mas ainda n desisti.

Beijos!

(Vc ganhou uma fã!)

*M

Maraysa Carvalho disse...

Ah, só queria pedir para vc comentar qqr resposta aos meus comentários no meu próprio blog ou através do meu e-mail, se possível, tá? É q se vc responder nos próprios comentários dificilmente eu lerei, pq nem saberei quais os títulos das postagens q comentei, pois estou lendo aleatoriamente, pelos marcadores e tal.. >.<

Taí,sugestão!
Acho q tem um recurso nas configurações q permite algo relacionado aos leitores acompanharem os comentários no e-mail q eles colocarem no formulário de comentário. Se bem q aqui n tem isso, no meu eu tbm desativei um monte de coisa... Pq vivia dando erro qdo iam comentar lá ;T
Mas enfim, tô dizendo isso pq vi num blog de uma menina (cenasdecinema) e lá tinha essa opção e talz.. hehehe
(informação super precisa! nem lembro agora o endereço do blog - o servidor - e ainda fico falando dele... ¬¬' releve minha sugestão =X).

=P

*M

Bruna B. disse...

Apesar de respeitar todas as religiões, tem muita coisa que eu não concordo e muita coisa que não entendo :x mas também nem gosto de ficar discutindo. Enfim, em uma coisa eu acredito: Se Deus não julgou ninguém (negro, podre, bonito, feio...)Quem somos nós pra julgar? : )
E esse vídeo hein? Uma lição de vida :D Muito bom!
bjo :*