sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

| da série: você, seu inferno e a tal da porta |

meninas, eu não edito essas tais conversas.. então perdoem os vícios de linguagem e as pausas do conversar (fico pensando e falando, né? :P)

(ah, tô um pouco gripada, então perdoem também a 'fungada' no meio da conversa!! KKKKK!)





O TEXTO DO CAMPBELL:

"Tive uma experiência interessante quando dava aulas no Instituto do Serviço Diplomático, em Washington, D.C., para grupos de oficiais que estavam prestes a ocupar postos no Oriente ou no sudeste asiático. Em um grupo, havia um negro muito inteligente, que acabara de passar três anos na Áustria e que iria para a Índia. Os alunos desses cursos sempre me convidavam para almoçar em um restaurante muito bom no Hotel Watergate, e daquela vez pediram para que esse sujeito me desse uma carona até lá.

Ele tinha um carro esporte bárbaro, e fazia bem o tipo. Já à mesa, a primeira coisa que ele me disse foi que o fato de ser negro fazia com que certas coisas o prejudicassem. Pensei: “Vou deixar que fale à vontade. Estou farto desse tipo de coisa.” Eu disse:

“Em termos das pessoas que conheço, você está no alto da escala. Sua vida é boa. Toda pessoa tem alguma coisa que vai contra ela. Há pessoas que não são atraentes, e isso vai contra elas. Algumas pessoas são protestantes em um país católico; outras são católicas em um ambiente protestante. Se você sai por aí pondo a culpa no fato de ser negro por tudo o que é negativo em sua vida, estará se negando o privilégio de se tornar um ser humano. Você é apenas um negro. Você ainda não é um homem.”

Aí, o restaurante começou a se encher e ele permaneceu em silêncio pelo resto do almoço.

No mês seguinte, ao chegar para a minha sessão, fui até a secretaria e o oficial de serviço me disse: “Joe, o que você falou para aquele sujeito naquele almoço?” Eu respondi: “Sei lá. Por quê?” E ele disse: “Sabe, ele comprou todos os seus livros e está lá na sala e quer seu autógrafo neles. Quando eu perguntei por que ele estava fazendo isso, ele disse: ‘O professor Campbell me transformou em um homem’.”

Bem, antes ele estava preso em seu próprio inferno: ele não fora capaz de enxergar o que havia além de sua própria idéia sobre sua limitação.

Quando ocupamos um lugar em nossas vidas e queremos estar em outro, há um obstáculo para superarmos, um limiar que deve ser transposto."

Joseph Campbell, Reflexões sobre a arte de viver – p. 156


E é isso, sabe? Se você não enxergar além do fato de ser homossexual, isso, claro, será sempre uma limitação! Como seria qualquer outra coisa que você transformasse em um empecilho para a sua felicidade e bem-estar.

Então, menina, o meu desejo maior é que você se livre do seu próprio inferno e da sua própria limitação e possa se transformar, enfim, EM UMA MULHER!


| cartum |

Dá-lhe Miguelitooooo!!! Hahahaha!










| este é o disco da Nana que acho mais lindo! a perfeição em forma de disco! Nana cantando Dolores Duran!!! Imagina!!! E, claro, por um motivo muito pessoal, tenho ciúmes deste disco.
(e olhe que não sou uma pessoa ciumenta!! hahaha)


Nana Caymmi - A Noite do Meu Bem: As Canções de Dolores Duran (1994)






Clique aqui.

8 comentários:

Luna disse...

Primeira! Só pra constar =D

Depois comento contigo pessoalmente.

Beijo LINDA

=*

Marcia Paula disse...

Adoro Nana Caymmi,tenho várias coisas dela,obrigada pelo download.Essa questão do "vitimismo" acaba realmente fechando. Li certa vez sobre tipos de personalidade,a vítima sempre encontra o carrasco.Beijos,querida.

Anônimo disse...

Hummmmmmmmm grípe....não , não, não, e nãoooooooooo podeeeeeee!
Tadinha da menina....vaí agora mesmo tomar um chá verde com límão e depois uma colher de mel, para adoçar o juízo tá!
VÁ , VÁ , VÁ,,,,LOGO ..... rs rs
como sempre ,,,,repetinho o de sempre,,,,
adoreí seu post....
SÓ TEMOS QUE SER MULHERES!
SÓ TEMOS QUE SER DO BEM!
e ponto fínal.... rs
beíjossssssss nas bochechas,,,de longe, pq não posso pegar grípe não, viu! rs
se cuida FLORZINHA!
mineira

Luisa disse...

ai deu pra ouvir sua voz hoje, que bacana; rs; adorei! :-)
gostei!. ---
muito bacana tudo o que vc disse, pra variar. --
adoro nana caymmi, tão bom.!
- chegando o dia hein, da apresentação;
recebeu meu email do dia 29/01?
espero que sim.

Beeeijo grande

*** Cris *** disse...

Uauuuu, não podia deixar de comentar que sua voz é linda e que vc se expressa muito bem.Adorei te ouvir,não apenas bela sua melodia,mas o assunto que vc abordou é interessante e importante, é como se proporcionasse de forma leve uma luz no fim do túnel.
Um grande abraço.
Bjs e sorrisos coloridos!

Jéssica disse...

Helena,em um(ou alguns) dos seus posts você mostrou alguma resistência a livros de auto-ajuda( e eu também a tenho, pelos mesmos motivos, pude perceber.)e não achas que isso aqui anda bem fazendo às voltas de um pra algumas das meninas que aqui vem?e então?o q vc pensa disso???


P.S.voz muito bonitinha...=)

Helena disse...

:::Luna:

cá estou eu saltitante dentro do meu primeiro dia de senhora! É fato: virei um sorriso de 1.73 de altura!

:*


:::Marcia Paula:

Para variar, escritora, concordo plenamente com você!!

Ah, te contei que achei a Anita??? :D

Beijooooo!!


:::Mineirinha:

Assino embaixo, pão de queijoooo!!
Só temos que ser mulheres mesmo! ;]

Bjão!!


:::Luisa:

Ô, Lu, nem me fale... nervoso grande aqui... :/

Sim, recebi seu email sim, viu?

Desculpa ainda não ter respondido... a velha correria... mas como tb sei que você está correndo..

Um beijo enorme, viu?


:::Cris:

Ô, Cris, que palavras lindas!
Aliás, sempre você faz dessas, né? :*
Tanto aqui como no seu cantinho!

Um xêro!


:::Jéssica:

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

Essa Jéssica...
Não, mas deixa eu explicar... Eu não tenho nada contra livros de auto-ajuda não! Mas há livros e LIVROS, né?

Até porque acho que toda ajuda que a vida te der tem que ser por você aceita, então toda ajuda é uma auto-ajuda. Apenas acho que é a sua voz que tem que se fazer valer, entende? Não ser assim ou assado porque outros lhe disseram, mas porque você, nos diálogos que fez (seja com pessoas ou livros) chegou a essa conclusão.

E este blog, Jéssica, eu criei para me auto-ajudar, entende? :]

Daí se no meio dessa minha auto-ajuda alguém também se sentir ajudado, nossa, eu fico aqui toda feliz e saio no lucro, né?

É bom pro meu karma isso!! Hahahaha.

E também faz bem pra minha alma.

Bjooo! ;]

Isa disse...

Err... Primeiramente, melhoras pra sua gripe, tá?

Às vezes vc me assusta, na maioria das vezes que venho aqui vc aborda um assunto que atormenta a minha cabeça há semanas, é telepata num é?

Sua voz é linda! =)

Bjoo grande moça!