quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Da série: abrace o sofrimento e ache o teu sorriso

É que às vezes acha-se que se tem como “pular” a parte do sofrimento, sabe?

E às vezes, confesso, me frustro.
Me frustro porque me parece que as pessoas querem uma “pílula mágica” – algo que magicamente lhes dê o caminho certo, a felicidade fácil.

Algo que as faça cruzar a linha de chegada, sem ter passado por todo o sofrimento da corrida, sem ter suado a camisa até o extremo, sem ter lutado até o seu limite para conseguir, no fim, vencer a tal corrida.

É a busca pelo caminho mais curto.
Pela resposta que venha da boca dos outros.

E muitas vezes, você já sabe a resposta. Você já sabe o caminho correto. Mas você teima. E fica perguntando a um e a outro até que encontre alguém que lhe fale sobre o caminho ‘mais fácil’, que lhe aponte a direção que você quer sim seguir, mesmo sabendo que é a errada.

E depois, com o coração estraçalhado nas mãos, você se pergunta por que isso acontece justo com você! 

Deixe-me dizer o que o EU acredito.
Eu acredito que somos nós que construímos nossas vidas.
Somos nós quem damos os sim’s e os não’s aos fatos que cruzam o nosso caminho.

Somos nós quem olhamos a vida sob uma perspectiva que nos faz lutar a ‘corrida toda’, ou que nos faz buscar o atalho que parece mais fácil –  mas que será tão mais tortuoso e sofrido.

Honestamente?
Eu quero o tapa na cara.
Eu quero a dificuldade completa e sem censura e de uma vez.

Por quê?
Porque é essa dificuldade que nos transforma. É ela que nos faz ser quem no futuro devemos ser. É ela que opera em nós as melhorias que precisamos.

Não dá para “pular” isso.
Não dá para achar ‘fórmulas mágicas’.
Não dá para evitar o sofrimento achando que ele não vai lhe encontrar de uma forma ou de outra!

Até porque, queridas, é encarando o sofrimento que muitas vezes você deixa de sofrer.

É enfrentando esse teu medo, essa tua grandessíssima dúvida, que você finalmente se libertará dela.

Há um pote de ouro à sua espera no fim do arco-íris?
Nem sempre.
Nem sempre enfrentar o medo lhe trará a resposta esperada, o sonho sonhado.

Mas, isso eu lhe garanto, o processo disso é a tua própria vida: é a tua própria busca pela felicidade, é a tua própria libertação da situação que tanto te oprime.

Eu não tenho poderes mágicos.
Ou melhor, tenho sim: tenho em relação a mim: à minha pessoa: aos meus dilemas: às dificuldades e conflitos por que passo. Dentro desses, eu aplico sobre mim a melhor das magias: a da reflexão. E me conheço cada vez mais, e penso cada vez mais e sinto cada vez mais. E faço do meu mundo cada vez mais mágico.

E esse mesmo poder você também tem: em relação a você.
Escute opiniões sim. Elas são, muitas vezes, luzes dentro da escuridão de nossa confusão emocional.

Mas saiba que a relação com o teu sofrimento é tua e somente tua.


Saiba que você tem sim que enfrentar isso que te dói no peito: é o teu caminho que está em jogo: é a tua vida que está pausada, parada num lugar de dor porque você se recusa a dar mais um passo.

É normal sentir medo.
Temos medo de perder o que temos.
Temos medo de conseguir o que queremos.
Temos medo.

Mas os medos estão aí para nos indicar limites: limites que muitas vezes não só devem, como necessitam ser quebrados, ultrapassados, deixados para trás.

É além desse nevoeiro confuso e dolorido, é depois dele, que está teu sorriso.


Mas como chegar no sorriso se você não ultrapassar o nevoeiro?

O sofrimento é isso: uma nuvem densa e atordoante que chega para que você perceba as mudanças que tem que fazer.

Agora cabe a você arregaçar as mangas, juntar suas forças e enfrentar sua nuvem: passar por ela te transformará em um ser muito mais bonito e forte e, de quebra, talvez tenha um pote de ouro lhe esperando lá do outro lado.

Se não houver, só por ter chegado lá, só por ter enfrentado a sua nuvem, você já terá recebido o maior dos presentes: terá deixado para trás os medos que te atormentaram durante meses e meses. 


E sentirá o maior orgulho que uma pessoa pode sentir: o de ter tentado.


E se você acha que sou só eu, uma mera mortal, que acha isso, está enganada:

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade". 

-- Carlos Drummond de Andrade


_____
| Okay, rs, podem dizer que me amam!!!! Com vocês: OS DOIS NOVOS CDS DA BETHÂNIA!!!! Tá, tá, o mérito não é meu: é do Fulano Sicrano. Mas ainda assim, vamos lá escutar nossa diva, essa divindade em forma de humana, cantar para nós no escurinho do nosso quarto, da nossa sala... E nesses cds ela veio leve, serena, com uma voz mais doce e cheia de um amor maduro.
Bom, Bethânia é Bethânia, né, dispensa apresentações. ;]

Maria Bethânia - Tua - 2009





É só clicar aqui.







Maria Bethânia - Encanteria - 2009





Clique aqui.

8 comentários:

Mundo paralelo disse...

Oi Helena!!

Só hoje tive tempo de ler tudo o que você andou escrevendo e falando por aqui. Confesso que fiquei rubra de vergonha pelo post do livro, mas pelo menos pessoinhas chatas como eu não terão mais dúvidas quanto a dinâmica do livro e do sigilo =P

Bom, mas o post de hoje não fala sobre. Fiquei muito feliz pela pertinência do assunto. Durante muito tempo me enquadrei no grupo das pessoas que fugiam da realidade e buscavam o caminho mais “fácil e seguro”, no intuito de evitar maiores sofrimentos... Tudo em vão, pois não existe nenhuma fórmula mágica de escapar de você mesmo.

Todo o sofrimento vivido até agora causa medo, arranhões e muitas vezes estranheza, mas é necessário, pois só assim chegamos a conhecer e (re)conhecer nossos limites e possibilidades... Lidar com essa situação é também romper com preconceitos e com amarras que, muitas vezes, fazem com que a gente nem consiga se enxergar direito, ainda mais, nos assumir.

Estou ainda em processo de reconhecimento do caminho que terei que percorrer, mas prefiro acreditar que não será em vão e que atrás do arco-íris tem SIM um pote de OURO!

Adorei a citação do mestre Carlos Drummond de Andrade, como sempre genial.

Beijos

Aninha (M.P.)

gi disse...

gostei do que li, de verdade. pode ter certeza que a partir de hoje virei mais frequentemente ler os seus posts ;D

achei muito boa a idéia do livro, mesmo... vou até tentar achar um tempinho e ver se consigo escrever alguma coisa pra mandar e tentar colaborar em alguma coisa!

parabéns pelo blog ;)
beijão

Chrys Farias disse...

Muito Obrigada =')

Fernanda C. disse...

Nossa, que motivação!
Me deu um alívio no peito, que me fez pensar...

Adoro ler-te
Bjus de Luz.

Livro Mulheres que ama Mulheres disse...

Como disse me tornei leitora assidua, adorei como tratou o tema me lembra o escritor.“Na hora da verdade ninguém engana a vida. É possível enganar o professor, os pais e até a pessoa que as estas contratando, mas enganar a vida é impossível. Na hora da verdade a vida se encarrega de pôr todas as pessoas no devido lugar.”
Roberto Shinyashiki
Um abraçõ
Danielle Nava

Stella disse...

Ler essas palavras numa tarde de sexta-feira foi quase um soco no estômago! um soco construtivo, claro. =]

Mais uma vez você me chacoalhando pra vida!
Já é a segunda consecutiva hein...hehe
Já pode acrescentar no teu perfil que você é "um pouco psicóloga" tbm!! rs

Ou eu paro de ler teus textos ou tomo um rumo de vez!! Mas...como tuas linhas são viciantes, não terei outra escolha!=D

Bjo vizinha! até mais!!

Diogo França disse...

aaiin senti minha pessoa ai.. heheheh
tão bunitinho o q tu disse aee.. tipo.. é fato.. sofremos pq estamos vivos.. eu particularmente tento lidar com meus sofrimentos sorrindo pra eles.. nem sempre é facil mas a gente aprende, e se sofrendo a gente sente q está vivo! Ai ai é tão ruim sofrer, mas acho q estamos mais acostumados a sofrer sempre do que enfrentar o sofrimento, vive-lo e estingui-lo.
enfim... adorei o post

Bjoooo ♥

Anônimo disse...

Oi, Helenaaa...

O que vc escreveu foi exatamente o que estou precisando ler, ouvir, pelo momento que estou vivendo. Não preciso nem fazer terapia..rs...vir aqui te ler já me faz refletir muito, me alivia bem. Não conso de te elogiar..a sua forma de escrever é contagiante, adoro.

Bjs
belisa