quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sobre as perguntas que estão dentro de você

Não dá para estar segura sempre, sabe?
Tem horas que bate mesmo aquela insegurança e você se pergunta:
“Será que estou mesmo no caminho certo?”

E não é ruim se perguntar isso.

Pelo contrário: devemos mesmo sempre ‘fazer um balanço’ daquilo que está dentro de nós. Devemos mesmo nos questionar, reavaliar, revisitar os locais dentro de nós mesmas e reorganizar nossos sentimentos.

Isso é saudável.

O que não é saudável é você deixar que a falta de apoio da sociedade ou da tua família ponha dúvidas sobre quem você é!


VOCÊ TEM QUE RESISTIR A ESSA VONTADE DE ACHAR QUE ‘ELES’ TALVEZ ESTEJAM CERTOS.

É que seria mais fácil, entende?
Na tua cabeça seria mais fácil se você fosse heterossexual: se você pudesse gostar daquele cara que tua mãe ou tua irmã teimam em te apresentar.

Na tua cabeça tua vida seria menos complicada e sofrida se você tivesse conseguido ficar com aquele ex-namorado.

Tem horas que você não pensa assim, claro.
Como quando você está com aquela mulher encantadora na tua cabeça e só a lembrança do sorriso dela te faz deixar de lado todas essas preocupações e medos.

Mas aí, quando você menos espera, lá vem aquela voz tenebrosa: aquela voz que parece nascer dentro de ti, mas que na verdade vem ecoada das tantas vozes acusadoras que existem ao teu redor.

Na tua igreja, te chamam de pecadora.
Na tua casa, te falam (mesmo em silêncio) da decepção que você é.
Na rua, não aceitam que você exista.
Na escola, não querem que você diga em voz alta quem você é.
No trabalho, te ameaçam silenciosamente se você for “isso” que não é aceito.

E aí vem a voz: ela te mostra tudo isso: que é você contra o mundo inteiro.

E aí, claro, você, tão pequena e minoria, se assusta.
E acha que talvez eles tenham razão: que talvez você seja mesmo pecadora, que talvez você seja mesmo uma decepção, que talvez não seja mesmo certo que você seja assim como é, que talvez eles estejam corretos em não lhe aceitar.

E aí, nesse pensamento, mora o perigo.
O perigo de você se renegar. 


O perigo “deles” conseguirem a única coisa que não podem conseguir: que é plantar em ti a idéia de que você não é quem você deveria ser, de que você deve lutar contra quem você é e ser na verdade quem eles querem que você seja.

Percebe o absurdo desse pedido?

É isso o que essa voz quer de ti.
Ela quer plantar em ti uma semente de discórdia: mas uma semente muito específica: que te faça questionar justamente a tua essência: os teus sentimentos.

A verdade é que vivemos em um mundo inventado: nos deram nomes, nos deram profissões, nos deram tarefas e responsabilidades, nos fizeram parte de uma sociedade. E tudo isso tem um preço.

Mas é aí que entra resposta para todas essas perguntas que teimam em te esmurrar por dentro: é aí que vem a noção mais importante e sólida que você deve ter a teu respeito:

VOCÊ NÃO É A ÚNICA!

Me desculpe, mas você não é a única!
Essas dores e dúvidas e medos que você sente, desculpa, não só teus!
Milhares de milhões dividem esses sentimentos contigo.

Essa é a verdade maior que não querem que você saiba!
Porque se você perceber que ser como você é, é ab-so-lu-ta-men-te normal, então, ora, qual o problema em ser assim, não é mesmo?

Então, Clara, Joana, Andrea, Andrezza, Adriana, Raquel, Carol, Viviane, Daniela... o mundo está CHEIO de pessoas que carregam exatamente aquilo que querem que você ache que é anormal.

Eu, Helena, sou também apenas mais uma delas.

Então pára!
Pára!

Pode ser que seus pais não te entendam, pode ser que ainda passe anos ou décadas para que a sociedade de aceite, pode ser que você jamais possa afirmar com todas as letras no teu trabalho que você é homossexual. Sim, isso tudo pode acontecer.

Mas NADA disso tem a ver com o que você é ser errado!
NADA!

Entende que você vive em um mundo inventado.
E quem inventou “esse” mundo, não nos escreveu nele.

MAS ISSO NÃO QUER DIZER QUE NÃO EXISTIMOS!

Cá estamos nós, não é?
E crescemos, ah!, crescemos a cada dia em coragem e em força e em voz!

E haverá sim o dia em que a vida para nós será mais fácil.
Ou pelo tão difícil quanto as dos heterossexuais.
(Não sei se te contaram, mas ser heterossexual não é sinônimo de ser feliz ou de viver em paz).

Mas até lá, te faz um favor?

Pare de questionar quem você é e comece a questionar quem eles querem que você seja.


A fórmula da felicidade é uma e uma apenas: encher o pulmão de ar com orgulho de ser quem você é!


~~~~~~~~~~~~
Desculpem a longa ausência: é final de semestre e realmente não me tem sobrado muito tempo.
Mas obrigada de coração por continuarem por perto! ;]

14 comentários:

Tânia disse...

Fico muito feliz com a sua volta ao nosso Bloguinho. Seu texto nos alerta da necessidade de escolhermos a nós mesmos, nos preocuparmos única e exclusivamente com a nossa felicidade, e optarmos por viver a nossa vida e que deixemos que cada um viva sua própria vida. Não temos que nos preocupar com esteriótipos, temos que nos preocupar com o que poderemos fazer de melhor por nós e pelo nosso amor. Não devemos nos sentir pequenos por que as pessoas se sentem superiores pelo fato de optarem por viver uma vida distinta da nossa. Temos que nos sentir grandes por termos coragem de assumir o amor real e verdadeiro que optamos para a nossa vida. Somos felizes? Amamos verdadeiramente? Temos confiança em nossa relação homo? Por que nos sentirmos mal? Temos que acordar, e procurar viver da melhor forma possível a vida que escolhermos para nós. Bjs carinhosos da amiga de sempre.

Aninha aruen disse...

muito bom o texto,concordo que ser hetero nao é sinonimo de ser feliz,tem muito hetero por ae que é infeliz,e se apaixonar pelo sexo oposto não é tão mais fácil assim do que pelo mesmo sexo,qd não dá certo é complicado do mesmo jeito (já passei por isso) bjão!! :)

Sônia Barbosa Simplesmente disse...

Olá, gostei muito do teu texto. Minha contribuição em relação a essa realidade na nossa sociedade tem sido abrir conversas sobre o assuntos com outras pessoas, ler muito sobre o assunto, comprei livros e agora criei um blog que no qual sempre abordo essa realidade.

bjs

Anônimo disse...

Oi, Helena!
A batalha existe, é fato. Temos que lutar por nosso espaço e felicidade, seja como fôr e contra quem quer que seja. O que não podemos é nos apagar, deletar nossa vida em favor da sociedade, familiares, etc. Cada um deve travar sua luta da melhor maneira possível, com muita leveza e sabedoria, sem desespero, jamais. O cansaço e o desânimo muitas vezes presente, não deve ser encarado como impecilho, e sim mais fortalecimento para prosseguir e fazer valer a pena.

bjs
belisa

Lisa disse...

muito obrigada por este texto..
estava me questionando isso...quando entrei aqui...e só posso agradecer

BRUNA disse...

EXATAMENTE O QUE EU PRECISAVA OUVIR! OBRIGADA

Isa disse...

Ela voltou! \o/

Engraçado... estou por algo parecido com o seu post! Oo

Me fiz a mesma pergunta há alguns dias...Se estou no caminho certo! As vezes eu ouço tanto que sou uma aberração q minha cabeça por vezes vacila e eu fico pensando se não seria melhor eu viver o que a sociedade e a minha família julgam "o correto".
Realmente seria mais fácil, mas não há possibilidade de assumir algo que eu não sou. Mesmo que pra isso eu tenha que enfrentar o mundo! =)

Saudade daqui, das suas palavras... Ando sumidinha, eu sei! Mas logo entro de férias (\o/) e me dedico a tudo que perdi!

Bjoos e se cuida Helena!

Anônimo disse...

Você como sempre traduz exatamente o que sentimos.. Que bom que nao esqueceu da gnt aqui, me sinto melhor qnd leio seus textos... Eu acho que mesmo com todas dificuldades, ser quem se é, nao tem preço... É uma paz poder ser vc msm, todos aceitando ou nao. O maior problema nao é nem ter todos contra vc, é nós msm n nos aceitarmos... Se superarmos isso, teremos paz, seremos felizes. Isso de aceitaçao pesa mais p/ nós homossexuais, mas afeta todas as minorias que existem por ai... E todos, independente de homossexuais, hetero, bi.. tem problemas.. Cabe a cada um saber lidar... Beijos, Helena.. Adoro vc!

Ass: Camila Assis

Anônimo disse...

Já te disseram que você "salva" vidas?

Essa força que você dá para todos nós é indescritível!

Em nome de todos, OBRIGADA!

Anônimo disse...

Já te disseram que você "salva" vidas?

Essa força que você dá para todos nós é indescritível!

Em nome de todos, OBRIGADA!

Natalia disse...

Eu sei q o post é antigo e estamos em pleno 2012, mas tenho q dizer: mto obrigada!! Mto bom ler isso e saber q nao sou a unica!! Alívo para a alma e coração!
Sei que as perguntas mesmo assim virão na hora do sofrimento, mas suas palavras ecoaram no meu pensamento e poderei fechar os olhos e respirar novamente.
Obrigada Helena! E volta a escrever pq sua presença faz falta... e logo a mim que cheguei agora aqui! Um Bjo

Mel disse...

Oi Helena,

Como sempre, inspirada e inspiradora.
Seu texto representa exatamente como me sinto hoje, agora.
Parece até uma radiografia da alma.
Esses sentimentos que você descreveu refletem exatamente as oscilações que passam em nosso coração.
Obrigada por compartilhar e nos ajudar nestes momentos da vida.
Bjs.

Marcia Oliveira.

Dani G. disse...

Oi Helena,

Texto maravilhoso! Sempre gosto de ler o que escreve, é nítido que é fruto de muita reflexão e sensibilidade. Seus textos são cheios de esperança e de uma positividade consciente, reais, possíveis. Concordo com você e acredito que um dia a nossa vida será mais tranquila em relação ao preconceito que sofremos. Infelizmente, o mundo está cheio de muitos preconceitos ainda, não só em relação à orientação sexual de cada um, mas tantos outros... todos igualmente infundados. Mas acredito, temos que acreditar, que o mundo caminha na direção de ser mais justo, mais igualitário, mais acolhedor... enfim melhor para todos! Afinal o mundo também está repleto de exemplos de amor, de respeito, de boas atitudes e temos que nos lembrar desse outro lado também, para que tenhamos força e não deixemos de acreditar na humanidade...

Um abraço carinhoso a você e um abraço carinhoso e repleto de boas energias e esperança para aquelas (aqueles) que possam estar passando por um momento difícil!

Dani G.

MP disse...

Helena, querida:

Sempre ajudando as pessoas. Fechou com chave de ouro seu texto e muitas meninas estão mesmo precisando ler isso várias vezes: "Pare de questionar quem você é e comece a questionar quem eles querem que você seja."

Um abraço, MP