sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Uma festa-pedido

Nada de “Então é Natal” este ano!
Nada de um espírito natalino que contagie apenas temporariamente a cada um de nós.

O Natal, para ser verdadeiramente símbolo daquilo que ele significa, para ser Natal realmente, deve ser acima de tudo, uma festa-pedido.

Um pedido de reflexão.
De mudança de atitude.
De percepção a respeito da vida e das responsabilidades de cada um.

Deve ser um encontro não apenas de familiares que compartilham sangue ou afetividade, mas um encontro de seres humanos que estão ali se comprometendo em serem melhores no ano que está por vir.

O Natal não deve celebrar um Nascimento: ele deve celebrar vários.


O Natal deve ser primordialmente símbolo de um desejo de melhora: enquanto pessoa, enquanto pai, enquanto mãe, enquanto filho, enquanto irmão, enquanto amigo...

O Natal deve ser exatamente o que nasceu para ser: marco de um tempo único e especial: um tempo em que devemos olhar para nós mesmos com olhos sóbrios e extremamente verdadeiros.

O Natal é acima de tudo uma lembrança: mas não uma lembrança longínqua de um Cristo que nasceu para nos ensinar, mas uma lembrança atual e presente de tudo aquilo que ainda precisamos aprender.

O Natal é tempo: e o tempo existe para nos fazer lembrar que tudo passa.
O bom e o ruim.


Basta um pequeno momento de reflexão para você perceber isso: quantos Natais você já vivenciou?

Os Natais da sua infância; os Natais da sua adolescência; os Natais da sua vida adulta.
Os Natais da vida que se renova: o primeiro Natal dos seus filhos.

E o ciclo dos vários Natais que, somados, são exatamente o que devem ser: são vida. Vida acumulada. Tempo.

Então que essa Festa seja esse grande, esse gigantesco pedido: o de que saibamos que cada momento de nossas vidas constrói o todo.

E que aí reside a nossa responsabilidade de cuidar bem de nossas ações e de nossos sentimentos.

De cultivar a sensibilidade que existe dentro de cada um de nós. E perceber que, uma vez estimulada, essa sensibilidade só tende a crescer e a nos melhorar.

Esta é a nossa grande missão Natalina: perceber que dentro de poucos dias um novo Ano nos será dado. E que dentro dele está a nossa grande oportunidade de consertar tudo aquilo que precisa ser consertado.

Em nós mesmos e nas relações com as pessoas que nos são queridas.

O tempo existe para ser usado: então que esse grande e simbólico aniversário sirva para que fortaleçamos a consciência de como usamos esse tempo que nos é dado.

É a partir dessa reflexão que então sim, é Natal.

Com todo o significado de aprendizado e de melhoria que Cristo desejou para cada um de nós.





~~~~
Feliz Natal, minhas companheirinhas de Sapatilhando!
Um abraço apertado em cada uma de vocês! :*

12 comentários:

Lilo Oliveira disse...

Que não se espere presentes materiais, mas sim, a felicidade de todos, a igualdade dos homens, o respeito mútuo, a paz reciproca.

Que não se façam apenas desejos de dias melhores, mas sim, ações para tornar esses dias, dias melhores.

Que a mesa não seja farta somente uma vez ao ano, mas que durante todo o ano, todos tenham a condição de ter o suficiente .

Que FELIZ NATAL não seja um voto de um único dia, mas que seu significado e espirito de solidariedade reine por todos os dias de todos os próximos anos. Afinal, São Nicolau seguiu seu coração e como algo misterioso depositava moedas de ouro pelas chamines, não precisamos doar moedas de ouro, mas o fato de não fecharmos os olhos para as diferenças e estendermos a mão para quem precisa, é fazer o bem, sem olhar a quem, é estar a fazer um Natal.

Paz, bem, muita luz e felicidade, pois esta é o alimento da alma!

Aninha aruen disse...

feliz natal!!!! amei o texto!! vc sabe tocar alguem com o que escreve!! bjss :)

Maíra disse...

Feliz Natal, querida. Que vc tenha passado essa data ao lado das pessoas que ama!

Bjos

Rock Girl disse...

Caramba, me apaixonei pelos seus textos.
O seu blog é ótimoo!
Beijos. ;*

livia disse...

olá Helena.muito oportuno e claro seu texto.O Natal ,deve ser visto,sentido como um principio de esforço comum rumo as justiças.Vai além dessa febre de consumo e apoteose das comilanças.O espiri natalino ficou sufocado,mas,como voce bem diz,devemos recuperar o sentido da sua essencia de respeito,mudanças para o melhor do humano e da humanidade.Utopico?pode ser,mas os sonhos é a percepçao de que podemos construir um mundo em bases de menos sofrimento.Se a dor é inevital(hoje temos drogas que nos aliviam as dores fisicas),sendo o sofrimento possível de ser evitado na construçao das justiças.òtima reflexão.Abraçao.

*** Cris *** disse...

Olá,td bem?
Vim aqui para te desejar um ótimo 2011 e dizer que vc continua escrevendo muitíssimo bem.

Rodrigo Rocha disse...

Helena passei para conhecer seu blog ele é notº10, espetacular, muito maneiro com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e tudo de bom

Anônimo disse...

Hey guys,

Would you like to watch the green hornet? It is not released yet but you can watch it online already!

Click here to [url=http://watch-thegreenhornetonline.com/]watch the green hornet[/url]

Anônimo disse...

Legal seu blog.
Dica, divulgue ele no gonlink. Seus posts.

http://gonlink.com

Nicolly' disse...

Sou leitora adoradora de seus textos. Sempre muito genial! Resolvi tbm expor os meus. Espero ter seu apoio e comentarios. Obg! Bjão ;*

Anônimo disse...

Oi Helena:

Quanto tempo! Como vai? E a casa nova? Um abraço grande no seu coração, Marcia Paula.

SAFO disse...

Adooorei o blog e voltarei aqui mais vezes.
Passei para divulgar meu blog: batepapocomsafo.blogspot.com
Espero pela visita em meu blog e participe, afinal ele foi feito para todas nós.

Beijos!!!