segunda-feira, 4 de abril de 2011

Meu testemunho de amor por você

Falo para ti, agora.
Falo para você que vive.

Respira.
Respira.

Vê?
Sim, ESSA é a vida.

Mas, como a Clarice Lispector diz:
“Esta é a vida vista pela vida.”

E às vezes, no meio da vida, a gente não sabe ver a vida direito.

A gente não sabe ler os livros certos, a gente não sabe amar as pessoas corretas (sim, isso existe!), a gente não sabe escutar o que precisa ser escutado.

Então, eu falo para ti, que vive.

Esta vida tão intensa, tão louca, tão caótica, tão capaz de nos desorganizar por dentro.

Esta vida que simplesmente nos ocupa: e nos faz esquecer do essencial.
(Aquilo que é “invisível aos olhos” – segundo o principezinho).

E dá trabalho: esquecer do essencial dá trabalho.
Cuidar do essencial também dá.

E a gente acha que é nossa responsabilidade cuidar do que os outros esperam de nós.
Mas não é.
A nossa responsabilidade é cuidar de nossa felicidade.
É cuidar dos passos que os seus pés dão.
É cuidar do caminho que te leva pela vida.

Seu caminho tem várias interseções: tem interseções com o caminho dos seus pais, dos seus irmãos, dos seus amigos, dos seus filhos, dos seus amores... Mas ele não deixa nunca de ser o SEU caminho.

E disso a gente se esquece.
E às vezes uma vida inteira se passa pausada nesse esquecimento.

Sim, o amor é lindo.
Mas ele só é lindo quando ele é entendido.

E tão poucos entendem o amor!

# O amor não é, jamais, uma via de mão única: ele é compartilhado.

Só é amor quando existe a partilha. Caso contrário, não, não é amor. É um encantamento.

# O amor tem UM objetivo apenas. UMA razão de ser apenas: ele vem para transformar. Enquanto houver transformação, haverá amor.

(ora, se não é exatamente por isso que se diz que amor de pai e mãe é incondicional – justamente porque deve continuar a transformar a vida inteira!
 – pais, por favor, se lembrem disso para realmente saberem amar seus filhos; 
– filhos, por favor, se lembrem disso para realmente saberem amar seus pais).

Quanto tempo dura um amor?
Ele dura enquanto ele estiver transformando.

Esse amor, esse amor que verdadeiramente transforma, é o amor pelo qual tudo vale: é o amor que une verdadeiramente duas vidas (ou três, ou quatro, ou cinco...), é o amor que trilha uma existência juntos: com a melhor e a mais rica de todas as jornadas: Crescer juntos.

E é realmente tarefa para uma vida, essa.

# O amor não subtrai: ele adiciona.
Não dá para sofrer de amor. Você sofre pela falta de amor. Você sofre pelos caminhos errados ou doloridos de quem se ama. Mas DE AMOR, ninguém sofre.

O amor constrói, sempre.
Aquilo que destrói ou subtrai não é amor.
É fixação, é paixão, é fuga, é desamor.

O amor vem para trazer paz à sua vida.
Por isso, saiba identificar o que não é amor.
E saiba dizer não a isso.

E saiba esperar pelo amor: ele só vem quando você estiver pronta(o).
E não é você quem determina esse tempo.
Saiba esperar e cuidar de você: da sua vida, do seu ser e do tempo que lhe é dado.

A gente fica esperando um desfecho, um “The End” no final da nossa vida. Mas não é assim que acontece. A vida é TODA feita de começos e finais. De Oi’s e Tchau’s. De encontros e despedidas.

As conclusões – elas acontecem várias e várias vezes ao longo da vida.

“No momento da conclusão, podemos tanto nos sentir em desespero -- porque não queremos que aquela situação chegue a um fim --, como podemos nos sentir agradecidos e receptivos ao fato de que a vida é cheia de conclusões e de novos começos.


O que quer que tenha estado absorvendo o seu tempo e sua energia, agora está chegando ao fim. 


Ao concluir isso, você estará criando condições para que alguma coisa nova possa começar. 


Use essa pausa momentânea para celebrar ambas as coisas: o encerramento do velho e a chegada do novo.”

(Osho)

Não queira que a vida seja UMA coisa.
Assim você estará sempre passível de se sentir frustrada(o).

# A vida nunca é “ou” – ela sempre é “e”.
A vida nunca é Tristeza ou Alegria – Ela é Tristeza e Alegria.

Saiba valorizar o “pacote completo”.
A vida, por ser meio de amor, tem a mesma função do amor: TE TRANSFORMAR.

Assim, saiba entender o real por quê das coisas da tua vida: saiba ouvir o que a vida te diz, saiba deixar que ela te transforme: a vida tem a função de nos transformar por dentro como inevitavelmente transformará nosso corpo por fora.

Mas a transformação externa (do corpo que envelhece) é involuntária.


Ao passo que a transformação interna (da alma que cresce) é completamente voluntária.

# Você é responsável pela sua vida e pelo o que você faz dela: veja, a vida é cheia de desastres, de dores, de corações partidos e preocupações. E, por isso mesmo, a vida é cheia de oportunidades de crescimento!

Ninguém cresce no júbilo!
É necessária a frustração do engatinhar para que aprendamos a andar. – Essa metáfora te serve para a vida inteira!

É na dor, que o entendimento aparece.
É durante a escuridão, que surge a necessidade da luz.
É na dificuldade que você escolhe a si mesma(o) e se torna responsável por seu caminho.

“Pode parecer um desastre, mas siga em frente como se fosse uma oportunidade, um desafio.


Se você trouxer amor a esse momento – e não desestímulo – perceberá que a força está ali. 


Depois, ao analisar a sua vida em retrospectiva, verá que os momentos que pareceram grandes fracassos seguidos de destroços foram os incidentes que moldaram a sua vida.


Nada que não seja positivo pode acontecer com você.”


(Joseph Campbell)

Mas, como disse a Clarice: “esta é a vida vista pela vida.”

E goste ou não, aceite ou não, assuma ou não: teus passos são tua responsabilidade. 

As oportunidades de transformação virão sempre: mas também sempre será necessário o teu ‘sim’ ou o teu ‘não'.

O teu amor ou o teu desamor.

A vida é assim: dá trabalho.

Então, respira.
Respira.

E olha para os amores que existem ao teu redor e as transformações que eles te oferecem.

A vida dá a mão para quem dá a mão a ela.

Esse é o meu testemunho de amor por você.

17 comentários:

Del. disse...

Bélissimo texto amor meu, masterpiece.

E que bom se todo mundo visse com essa simplicidade, aliás, nas confusões da vida, não se ignoram somente o essencial, o invisível, ignora-se também o mais simples.

Devemos nos amar e ponto, devemos nos amar e sermos responsáveis pelo que fazemos conosco e com nosso caminho.

Nós mesmas somos o nosso templo, a nossa estrutura maior, que deve estar bem mantida pro que der e vier.

O resto será consequência, trilhar o caminho, passar pelas adversidades, será consequencia.

Enquanto estamos sozinhos, seguimos sozinhos, se tivermos alguém ao nosso lado, ótimo, ajuda com certeza, mas se não tivermos, não é razão pra parar e desistir.

Grande beijo, minha companheira de estrada.

Del.

Poesia e outras drogas disse...

Arrepiei!
Disse isso váárias vezes e digo de novo: SOU SUA FÃ!
Muita luz pra você Helena.
E mais uma vez, obrigada pelas palavras.
Um grande beijo!

G.Lispector' disse...

Amei o texto, o blog, tdoo!!

Me identifiquei por demaias,
me clariou algumas coisas
me fez REpensar em outras.
Por mais árduo q sejam alguns caminhos, fica sempre mais fácil
quando encontramos alguém para nos dar a mão, por mais q seja assim,
em um sentido meio figurado.
Teu blog é uma mão que pretendo
ter pra segurar de agora em diante.

um.beijo*
Luz para os teus dias
" ... e que seja doce"

Anônimo disse...

Helena,

Adorei seu texto. Acho que é isso mesmo, primeiro temos de nos amar, de nos querer bem. Depois tudo o mais acontece.

Abraços!

Isa disse...

Engraçado... falamos sobre isso hoje em uma aula da facul... e comecei a rever algumas escolhas e situações, ai eu chego aqui e vc está justamente falando de algo que está em evidência na minha vida! Oo
Ah...esse post me fez lembrar um música da Brooke Fraser, que se chama Shadowfeet, é tão linda! *-*

Obrigada pelas palavras necessárias que vc sempre dá um jeito de se tornarem cafuné! *-*

Bjo grande Helena! =D

Aninha aruen disse...

eu sei que já disse isso antes e é repetitivo mas é verdade...sempre que eu preciso ler algo pra me ajudar vc escreve e ajuda!!! obrigada!!! bjsss

Flavia disse...

Olha, este texto é de uma responsabilidade e sensibilidade, que só alguém que ama muito poderia escrevê-lo e endereçá-lo a tantos amores que tem. Fico lisongeada e muito feliz por ser um deles! Obrigada Helena por seu amor por todas nós! As suas palavras são sempre uma doação de amor. Espero que as nossas palavras também cheguem ao seu coração, pois compartilhamos esse amor contigo. Bjos! Muita saúde e paz!

patricia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PatyRegina disse...

Lindo, lindo texto, me fez chorar, realmente muito profundo e de uma sensibilidade encantadora *-*

Anônimo disse...

Lindo Helen,
me emocionei,
mta luz!

Minha mãe é mulher da minha outra mãe! disse...

Olá...tudo bem!!!?Temos um presente para vocês lá no nosso blog...
Entra lá e pega seu presente!!vlws bjinhos Cláudia Nogueira

Minha mãe é mulher da minha outra mãe.
http://maesles.blogspot.com/

Anônimo disse...

Yes, temos que fazer da vida algo belo e bem vivido por nossa própria escolha, apesar das dificuldades, das perdas, etc. A vida nos oferece muitas oportunidades e cabe a nós enxergar esses momentos, nos aprofundar para evoluir sempre!
Adorei, Helena!

Bjs
Belisa

»» Lya «« disse...

Belíssimo texto... Depois de dias ouvindo "ela escreve super bem sou fã dela" resolvi entrar aqui e deixar registrado que tu escreves realmente muito bem!

E eu concordo contigo quando diz: "Mas DE AMOR, ninguém sofre..."

Beijo!

dany disse...

vc escreve muito bem! de um modo que eu nao sei explicar, vc consegue me tocar com as suas palavras, como se me entendesse... o seu texto sobre a borboleta no casulo é um que teve muita influencia pra mim... em uma etapa da minha vida suas palavras me ajudaram muito, e acho que ainda ajuda muitas pessoas.

parabens! e se vc um dia escrevr um livro, eu vou ser uma das primeiras a comprar ok?

Hamanda disse...

Nossa..'
ollhaa euu tavaa super confuzaa.. tava nao,too!! mas bem,bem menos depoiis que entrei no meu HOTMAIL.. e lii e relii esse textoo.Olhaa.. continuee Helena, pq tenho certezaa que vc nao estaa so me ajudando, como ajudandoo variaas e variias joveens como eeu.. desesperadas com duvidas, com medoo de vivee essa vidaa cheiaa de preconceitoos, cheia de tristezaa... Vllw meesmo, por ter me dadoo mais um poucoo de coragem e forçaa, pra continuaar sem cair e desistir, dessa vidaa cheia de obstaculos terriveiiis.

Nicolly' disse...

"O amor não subtrai: ele adiciona.
Não dá para sofrer de amor. Você sofre pela falta de amor. Você sofre pelos caminhos errados ou doloridos de quem se ama. Mas DE AMOR, ninguém sofre."

Mais um texto fantástico.
Já começei a provar do poder do amor e desamor, da certeza que ele nos traz e proporciona. Sem dúvidas, a melhor de todas as sensações.. e pior tbm ! rs'
Quem nunca sofreu pela falta dele afinal?!

Sucesso .. !
Bjão

Vivi disse...

Helena,mto lindo o texto...Obrigada, obrigada pelo carinho d sempre....

vc viu essa campanha???

http://projetoeusougay.wordpress.com/

Se vc e Del puderem participar!!!

Fantástico!