terça-feira, 27 de março de 2012

#7 Podcast, NOVO TEXTO + Notícias!

Pessoalzinho querido, primeiro vai o pedido de desculpas! :/
Por conta do II Leskontro Cultural de São Paulo (fotos no link!) semana passada foi uma correria só!
E embora eu e o Artur tenhamos já nos preparado e gravado o arquivo do Podcast na terça-feira, eu não consegui fazer a edição do áudio a tempo! :/

Mas aqui está! :]

No 7º Um Convite à Oração vamos falar sobre o seu caminhar, o seu hoje e as escolhas e reflexões que nele cabem.

Vamos conversar?
É só clicar no player abaixo:



Para fazer o download, basta clicar AQUI .
Se preferir, também pode ir aqui.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Quem é de Fortaleza-CE aí levanta a mão!!
Ou quem pode aparecer por lá no dia 05 de Abril?

Vou estar lá para o Mini-Leskontro Cultural de Fortaleza, juntamente com as meninas do Tambores de Safo.
Vai ter comidinha vegetariana da Barraca Jambo, brechó, sorteio de brindes e muita conversa gostosa!!
Segue o cartaz abaixo! Te espero lá, hein?

Para visitar a página do evento no Facebook vá AQUI.























Outra novidade ma-ra-vi-lho-sa são as camisas do Parada Lésbica!
Além de estampas incríveis para mulheres que amam mulheres, lançamos agora uma nova linha com camisas com frases minhas! ;]
Isso mesmo! Uma linda linha de camisetas e babylook assinadas por mim!
Olha que lindas (clica na imagem para ampliar):

















Se interessou por alguma?
Vai na Lojinha do Parada Lésbica para saber mais, tá?
Uma dica: compra um tamanho acima do que você usa, tá? ;]


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
----> O texto finalmente!!!

Tenho recebido algumas mensagens que me deixaram preocupada.
Algumas queridas que têm se sentido cansadas, sem esperanças, sem sentido de continuar a viver.
Este texto (assim como o áudio do Um Convite à Oração) é para vocês! ;]



Quando nada mais vale à pena

Existem esses tempos, sabe?
Quando o colorido perde suas cores, quando os sorrisos parecem longínquos, quando a esperança se veste de um cinza desbotado e frágil.

Parece que as forças que você um dia teve já não fazem parte de você.
Parece que o seu caminho criou tantas curvas que você só rodopia, perdida e tonta com tanta confusão.

Parece que crer não é mais possível, que nada do bom ou do belo ainda existem num mundo tão feio e caótico.

São horas de um buraco negro profundo, onde a vida parece tão dispensável que você pensa sim em soluções mais mórbidas e definitivas.

A necessidade de um recomeço é tão grande que você acha que a solução é criar um fim.

E a verdade é que é natural passar por isso.
(muita atenção no verbo escolhido!)

A metáfora que eu gosto é a de você caminhando.
Há um longo percurso, sabe?
Você não começou sozinha. Outros te trouxeram até aqui.
Te guiaram pelo caminho.
Mas aí, olha que desgraça, você aprendeu a andar.

 Aí, não teve jeito: você teve que continuar sozinha, agüentando a terrível responsabilidade de escolher as viradas e paradas do teu caminhar.

Acontece que a pegadinha é que apesar do caminho ser nosso, outras pessoas ficam gritando nas beiradas do caminho:

“Vira ali!”
“Segue por aquela estrada!”
“Se você me ama e me respeita vai por ali!”
“Se seguir aquela outra você vai se arrepender terrivelmente!”

Coisas nos são gritadas em sons tão estridentes e brutais que nos sentimos assustadas a ponto de ouvi-las ou de não confrontá-las.

E aquele teu caminhar, que deveria ser um movimento contínuo teu, de formação e de essência, de repente se transforma numa pausa.

Entenda: qualquer caminho que não seja o TEU caminho, é uma parada.
E uma parada cansa, extenua, desgasta, não nos deixa ver a paisagem em movimento, não nos permite enxergar o que enxergaríamos se estivéssemos caminhando.

É como Clarice Lispector diz:

“Estou sendo e ao mesmo tempo me fazendo.”

E se você está sendo pela voz dos outros, você também está se fazendo em algo que os outros querem.


Ouvir os sons das vozes que gritam significa apenas uma coisa: NÃO OUVIR A TUA VOZ.

A questão do cansaço é que ele não é gratuito: muito aconteceu para que ele chegasse.
E uma vez que esse tipo de cansaço chega, isso significa que você já vem escutando e seguindo outras vozes há muito tempo!

Há tanto tempo que você nem lembra direito aonde parou e para onde ia...
Há tanto tempo que você já não sabe mais qual voz escutar.
Há tanto tempo que tudo se vestiu de uma mesmice aterrorizadora e todos os lados que você olha parecem guardar a mesma mensagem: a de que não há mais caminhos a seguir.

E o que eu quero te pedir agora é algo muito grande e sério: GRITE VOCÊ!
Expulse dos teus pulmões todas as vozes do caminho!
Esvazie-se das noções dos outros!
Liberte-se da descrença e da decepção (que são sentimentos em relação aos outros também)!

Em uma primeira instância visceral, teu mundo é composto SÓ POR TI.
Entende?
VOCÊ DEVE SER O CENTRO DO SEU MUNDO.

Só assim é possível se reorientar.
Encher-se dos sonhos que um dia te habitaram.
Ver, pelos teus olhos, os detalhes do caminho, os pés que andam, o tempo que passa...

Os sorrisos, os teus sorrisos, não se perderam pelo caminho: você apenas não os pegou.
E não os pegou porque não estava olhando o teu caminho com os teus olhos.
Sorriso é coisa pessoal: só você sabe o formato e a razão do teu.

Então entenda: não é que nada valha mais à pena.
É QUE NÃO VALE MAIS À PENA CONTINUAR CAMINHANDO COMO VOCÊ VEM FAZENDO.
Essa forma de caminhar já se mostrou inútil e cansativa e extenuante.

Sei que você acha que você nasceu uma vez e pronto.
Mas a verdade é que o útero principal é a própria vida: o túnel escuro (onde você está no momento) e que está te empurrando para a decisão de nascer através do choro.

É preciso um retorno: um retorno a você mesma.
Àquilo que você é e àquilo que te faz.
À construção básica de ti: aquilo que te edifica e que te faz perceber que teu caminho continua ali (sempre esteve), esperando que você caminhe por ele.

E isso é tudo o que você precisa fazer: continuar caminhando.
Tampe os ouvidos. Tudo o que você precisa escutar é o que te bate no peito.
Teus pés reaprenderão a caminhar quando o teu coração finalmente puder falar livremente.


É que o que vale à pena é tão, tão simples: é precisamente você.
Você e o caminho que é verdadeiramente teu.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
ps: em decorrência do atraso do "Um Convite à Oração" da semana passada, só postaremos um novo programa na próxima quinta-feira (05/04), está bem? Eu estarei em Fortaleza nesta data, mas deixaremos gravado e o Artur e a Del publicarão aqui. ;]


Bjão, pessoalzinho querido!



6 comentários:

Lane F disse...

É fantástica a ideia desse texto porque é exatamente isso que estou aprendendo; a escolher a mim mesma, e o melhor é entender que isso não tem nada a ver com egoísmo é auto preservação e que essa atitude produz o que mais desejo paz interior e relacionamentos satisfatórios. Obrigada Helena por se importar a ponto de tornar essa causa seu motivo de luta e por usar seus talentos para ajudar e servir como apoio a tanta gente. obg por existir! *_* bjus

Nínive disse...

Perfeito!! Lindo! Belíssimo!! Me vi em cada linha e em cada palavra. Acho que tenho que parar de caminhar pelos caminhos que me indicaram e trilhar naquele q eu quero para mim. O cansaço está em um ponto insuportável e parece que as forças estão esvaindo, mas é hora de erguer a cabeça não? De sacudir a poeira e seguir em frente e de preferência passar na farmácia e comprar um estoque de tampão para os ouvidos ;) Obrigada pelas suas lindas e verdadeiras palavras, vc é um anjo que Deus enviou para fazer renascer as nossas esperanças. Bjs

Anônimo disse...

Helena,
Tenho uma sugestão que talvez você goste..quando você coloca links em seu blog, existe uma opção para que as páginas indicadas por esse link abram em uma nova janela. Acho que seria uma boa fazer isso, pois quando o usuário é redirecionado, dificilmente ele volta a página de origem.

Andrezza

Fabri disse...

Texto profundo e certeiro nesse coração que tanto precisa encontrar-se no seu próprio sorriso... tantas dúvidas, medos e angústias, tudo porque nos acomodamos e deixamos a vida passar! Momentos difíceis... mas vão passar, porque tudo passa... bjs Helena, Artur.

Isa disse...

Adoro quando chego aqui e tem post novo! =D
Suas palavras sempre encontram lugar em minha vida, dão força e fazem cafuné na alma!

Bjoo grande! ^^

F.D disse...

Realmente falou tudo.
Jpa faz muito tempo que vejo seu blog e curto muito o que posta nele.
Parabénsss e obrigada.
F.D