sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O perigo de não ser-se


É preciso que você perceba uma coisa essencial a respeito da sua vida: ela não será fácil.

Existirão dias em que você colocará tudo em questionamento: Será que estou no caminho certo? Por que todos conseguem ser feliz e eu não? Como ser quem eu sou e não sofrer as conseqüências? Como seguir o caminho que quero, e não magoar os que estão à minha volta?

A necessidade de ser-se, enquanto indivíduo, nos coloca sempre dentro de questões existenciais.

Isso acontece porque o caminho de cada uma de nós é, realmente, decidido à cada passo que damos. A cada vez que escolhemos fazer isso e não aquilo, dizer isso e não aquilo, calar isso e não aquilo.

Entenda: somos seres fragmentados. Somos feito da soma de muitos pedaços.

No entanto, esse “todo” que nós somos, nem sempre é a soma real de nós. A razão disso são os pedaços de nós mesmas que teimosa e dolorosamente enterramos para o mais profundo do nosso ser.

Ser-se, querida, ser-se de forma inteira, é sempre um desafio.

E todo desafio ou é encarado ou não.
Não há meio termo.

O perigo se encontra no tanto de tempo que se passa vivendo uma vida que não é sua. Calando coisas que deveriam ser ditas. Dizendo coisas que não são as que ecoam de dentro de ti.

Isso porque, quando usamos muitas máscaras, à noite, em frente ao espelho, nos sentimos a mais violentada de todas as criaturas. Veja: passamos o dia inteiro a interpretar, a esconder nossa essência, a teatralizar um espetáculo grotesco.

E sentimos o peso disso.

Acredito que o nosso desenvolvimento enquanto ser está diretamente relacionado àquilo que nos permitimos sentir e vivenciar.

Se você se nega a sua própria vida, seus próprios sonhos, de quem é a vida que você está vivendo? De quem são os sonhos pelos quais você está lutando? De quem é o tempo que você está usando?

Ser-se talvez nunca seja totalmente pleno.
Porque sempre vamos fazendo concessões pelo caminho.

Claro, se escolhemos uma estrada, é lógico que, nesta escolha, deixamos de optar por outras várias possíveis.

Mas o que não pode deixar de existir é a constante tentativa de ser fiel a você e ao que você sente. 
É esse o processo mais importante de qualquer existência.

Reflita, pondere, analise. Pontue as conseqüências antes de agir.
Mas, ao fim do dia, saiba olhar no espelho e ser sua.
Inteiramente sua.

Ser-se é o regozijo máximo da experiência individual.
É o clímax do seu caminho terrestre.
É a maior responsabilidade que você pode ter para consigo.

É o seu legado, o seu tesouro e a maneira mais nobre de escrever uma história que seja verdadeiramente sua.

~~~~~~~
Para reflexões sobre se assumir, clique AQUI.

10 comentários:

Caad disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nínive disse...

Mais um texto lindo, mais uma reflexão das inúmeras que tenho feito após as suas leituras. Ser realmente quem somos e quem gostaríamos de ser é algo que ninguem poderia tirar de nós, temos o dever de sermos felizes e as vezes por causa da familia, da sociedade, medo deixamos de lado e vivemos uma vida que não é nossa...isso é a pior de todas as mortes, é matar quem eu sou para dá vida a quem eu tenho que ser.
Obrigada por mais um balsamo em um dia tão frio. Bjs

Marta Furtado disse...

"Já que sou, o jeito é ser"

Ser romântica é o que fode com tudo.
Acreditar.
E querer. E querer. E querer...
Crer.
E esperar.
E, mais do que tudo, sonhar.
Se eu tivesse nascido com uma pedra de gelo no lugar do meu coração, talvez fosse tudo mais fácil.
Mas aí eu não seria eu.
E, mesmo com todas as complicações que isso implica, eu gosto de ser eu.
(E também não sei ser outra coisa. Não mais.)
(Clarice Lispector)

Isa disse...

Ser-se é um exercício diário! Pra mim, virou quase um mantra!

Bjos Helena! ;)

natcv2012 disse...

Ai minha cara esse texto!
Eu e minhas crises existenciais pela questão de tornar-se o que se é... acredito que to no processo ainda.
Ótimo ler esse texto um dia antes da minha terapia... vai dá pano pra manga!! rsrs
Bjo e obrigada por mais um texto!!
^^

Milena Souza disse...

Amei muito seu texto palavras precisas e exatas. Obrigada por nos ceder um pouco da sua experiencia. Parabéns

Priscilla Riese disse...

Olá,

sou leitora do seu blog.
Gostaria de uma ajuda, caso vc possa divulgar.
eu estou fazendo um video para minha namorada. Caso tenha disponibilidade/ interesse poderia tirar uma foto segurando uma folha dizendo assim: "Prips, todo mundo daqui de cidade/estado (vc poe sua cidade e o estado)já tá sabendo que a Prih te ama MUITO!".e me encaminhar no email priscilla.riese@gmail.com?! Obrigada.

Helena disse...

Priscila, vou divulgar no facebook, tá? É mais dinâmico e as pessoas podem compartilhar também! ^^
Bjão! Espero que sua homenagem dê certo! Adorei a ideia!

pensamentos soltos disse...

DENSA MISTURA - por Joanna Bravim

Sou um reflexo talhado de tudo o que absorvo
Por vezes sinto o peso que é o tormento de vidas inseridas em mim
A miséria do ser que tenho a viver lá fora
Por questão de sobrevivência no mundo

Uma síntese de não eu’s projetados em um eu que consigo suportar
Em mim mesma sinto-me diferente
Por vezes torno-me um mister de expectativas alheias a mim
Meus dias são uma constante travessia

Tento passar indiferente a essa densa mistura de quem estou com que alma eu tenho
Sustentar o disfarce do que o outro quer com o que se quer ou o que se acha que é
Um malmequer em busca do meu bem querer

Vida resultada de momentos pensados
Porém, reconheço a persuasão avassaladora da minha impulsividade e sua influência lapidando o que me torno.
Conquistarei um dia o sossego que é a perfeição de ser?

Lucid Dream disse...

Muito bonito o que você escreveu. E o preço que se paga ao não fazer as concessões diárias que tanto odiamos?
E a coragem para ser-se GAY? Tem que haver muita segurança para se declarar e viver como um, e quando a covardia impera, a conveniência entra em cena.