segunda-feira, 30 de julho de 2018

| Aprendendo a ser lésbica |

Para quem está chegando agora, deixa eu dizer: comecei este blog no ano de 2008 ao me perceber lésbica - perto de completar 30 anos de idade. Na época foi um desmantelo me descobrir homossexual! Até ali eu vivera uma vida hétero, veja bem - embora sempre tenha me sentido inadequada dentro daquela vida...

No passado, eu já escrevi sobre isso de estar aprendendo a ser lésbica (clica aqui e clica aqui), mas resolvi voltar a escrever sobre isso por alguns motivos:

1. continuo aprendendo a ser lésbica! ha-ha

Já casei, já me divorciei, já meio que me ajuntei, já tive filhos, já militei de tudo que é maneira possível, já falei para tudo que é público perto e longe, já amei e desamei e, olhe, moça, ainda estou aprendendo sim a ser lésbica!

Pelo mesmo motivo que já disse anos atrás: ainda estou aprendendo a ser ser humano!

Ademais, cada uma de nós sabe dos taannntos enfrentamentos diários que temos que fazer por sermos quem somos.

2. Somos ainda incrivelmente invisíveis!

Aonde estão as lésbicas? Aonde vivem? Do que se alimentam? Como copulam (ops, não, essa resposta eu sei SIM! hahaha). Que idioma falam? Como se comunicam? Aonde se encontram?

Há muito mais do que o cheiro de couro nessa história toda! kkkk

Veja: há MUITO ainda a ser conquistado por nós, filhas de Lesbos!

A primeira conquista é que amemos!
Amemos MUITO!


Não apenas à distância (óh minha nossa Senhora da sapatice!), mas que não censuremos a nossa própria vida!

Que sejamos exatamente quem devemos ser! Que ousemos as ousadias possíveis e que lutemos muito para que as impossíveis um dia também possam ser vividas!

Há toda uma nova geração aí de sapinhas que não sabem aonde ir porque nós, que viemos primeiro, ainda não construímos nossos palcos.

Precisamos seguir vivendo TUDO.
Cada uma de nós que se permite ser feliz constrói um pouco do mundo seguro para todas nós.

3. Precisamos falar sobre ser lésbica!

 Lésbica! Lésbica!
Grito ao mundo sim: SOU LÉSBICA!

"Mas, Lana, para que essa necessidade de divulgar isso? Por acaso os héteros chegam nos cantos dizendo que são héteros?" -- exaustivamente me perguntam isso.

Eu respondo:

Ninguém precisa dizer que é hétero porque TODO MUNDO é automaticamente entendido como hétero! Em especial se o nosso jeito de ser for "passável" no mundo hétero.

Eu, que sou até bem feminina, sempre recebo um cair de queixos quando digo que, na verdade, sou sapatão. SAPATÃO, SIM!

Ainda brinco: Sou sapatão até nos pés mesmo, porque calço 39!

Ora veja, no dia em que eu entrar em um ambiente e não automaticamente presumirem que eu sou hétero, aí sim, eu deixarei de anunciar que sou lésbica! Porque já não será mais necessário conversar sobre isso. Já teremos evoluído à ponto de entendermos que eu, ser humano, posso me apaixonar por outro ser humano qualquer.

Até lá, falemos tudo.

Isso também vale para o racismo e para todas as fobias e preconceitos sobre a diversidade humana - seja ela corporal, de gênero, de classe, estética, funcional ou o que for.

Tudo o que oprime a existência precisa ser discutido.

Então, ora veja, continuarei aprendendo a ser lésbica.

Continuarei anunciando que existo e que outras como eu também existem.

Continuarei achando um absurdo que pais e mães não acolham seus filhos homossexuais e transexuais.

Continuarei conversando o que acho que deve ser conversado porque acho que a comunicação é o que mais se aproxima da cura.

E continuarei dizendo para outras sapatãs que venham, venham dar as mãos! 

Porque juntas, filhas de Lesbos, juntas somos muito mais fortes!

____________________________________________________
O Sapatilhando está de volta!
E terá sempre novos textos às segundas e às quintas!
Espalha aí pras sapinhas de todas as idades, tá? :)

E não deixe de me seguir no Instagram: @blogsapatilhando e se inscreve no meu Canal do Youtube que já já vou voltar a postar lá também!





Um comentário:

Juciane Cabral disse...

Ebaaa sapatilhando de volta!
Que maravilha gente!!👏🏾👏🏾👏🏾